Boa madrugada - Em Conselheiro Lafaiete - MG, hoje é Sexta-Feira, 25 de Julho de 2014 - Agora são: 00:43:25 Você esta aqui : Home - Polícia - Suspeitos de assassinato, funcionários da Paranasa são presos
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Pesquisar

Jornal Correio da Cidade

Suspeitos de assassinato, funcionários da Paranasa são presos

E-mail Imprimir PDF

A Polícia do Amapá, estado onde ocorreu o crime, fez contato com a inspetoria em Ouro Branco; eles são irmãos

A rápida ação da Polícia Civil de Ouro Branco levou a prisão de dois irmãos suspeitos de assassinato.  Segundo informações repassadas pela inspetoria de Polícia Civil de Ouro Branco, na manhã de terça-feira, dia 28, os investigadores da Delegacia de OB foram acionados pelo Núcleo de Operações e Inteligência da Polícia Civil do Estado do Amapá e informados de que dois suspeitos de assassinato daquele estado poderiam estar morando e trabalhando em Ouro Branco.

 

 

Os policiais civis de Ouro Branco realizaram investigações e constataram que os suspeitos moravam na rua José Torres, no Centro. Segundo a Polícia Civil, eles seriam funcionários da empresa Paranasa, que presta serviços à Gerdau Açominas. Na quarta-feira, 29, os investigadores se dirigiram a empresa, onde, após contato com a gerência de segurança patrimonial, localizaram os irmãos suspeitos Salael Santos da Luz, 26 anos, e Silvano Santos da Luz, 22 anos. Eles foram presos e levados para o presídio de Lafaiete, de onde serão recambiados para o estado do Amapá para ser julgados pelo Judiciário.

Paransa responde

Procurada pelo Jornal Ponto de Vista, empresa membro do grupo CORREIO da Cidade, a Paranasa encaminhou um comunicado oficial: “A Paranasa confirma a prisão dos dois funcionários e informa que o motivo da mesma não está relacionado ao trabalho que eles realizavam na empresa. A construtora aproveita para esclarecer que segue os requisitos de segurança, como avaliação de atestado de antecedência criminal, além de realizar todos os testes de lei, previstos da CLT, para a contratação de todos os seus colaboradores. A Paranasa destaca, ainda, que vai colaborar com as investigações da Polícia, disponibilizando as informações que se fizerem necessárias”, informaram.


rssfeed
Email Drucken Favoriten FacebookWebSzenario
Última atualização ( Qui, 08 de Março de 2012 15:28 )  

Comentários 

 
-1 #2 17/03/2012 10:56
isso é verdadeiramente uma injustiça essas pessoas estao preso por nada,isso é covardia prender alguem trabalhando pra sustentar sua familia,bandido q faz crime barbaro ficam solto,se fosse o caso deles serem eprigosos no estado deles,é claro que apolicia de la ja teria vindo busca-los,mas nao,ainda estao presos em lafaiete onde nunca fizeram nada,onde apenas estavam trabalhando pra sua familia,pode ver a foto estao com a roupa ainda de trabalho meu Deus que mundo estamos,a policia de lafaiete ja q entraram em contato a policia do ap.e eles nao vieram busca-los entao por que nao liberta eles,pois deveriam perceber q a policia do ap sabem q eles nao sao bandidos,enquan to isso quem sofre é os filhos dos mesmos,passando necessidade,sem ter ninguem por eles em lafaiete
Citação
 
 
+1 #1 17/03/2012 10:46
eu conheço esses dois e sei q isso nao é verdade,eles nao sao assasinos eles apenas respondem um processo por briguinha de rua estado do AP.bandido perigoso nao ficam presos,isso é ate uma covardia prender alguem trabalhando pra sustentar os seus filhos.e hoje os filhos dos mesmo estao passando necessidade,por que o pai estar preso e nao estar trabalhando isso é uma injustiça,pra saber que é verdade ate hoje a policia do ap,nao veio busca-los,por que sabem que é besteira,e nem se interessam.p q la todos conhecem eles;e vao ficar em lafaiete sabe la ate quando com os filhinhos fora passando fome,que injustiça meu Deus!!!
Citação
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Banner
Banner
Banner


Edição Atual

Banner

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

Previsão do Tempo

Usuários On line

Nós temos 95 visitantes online

Contador de Acesso

Visualizações de Conteúdo : 6327363

Expediente

Expediente DIRETOR-PRESIDENTE E EDITOR: Luiz Fernando de Andrade GERÊNCIA GERAL: Clésio Samuel Luiz Peixoto SUB-GERENTE: Edmilson Moreira Dutra REDATORES: Juliana Monteiro / Camila Viana PAGINAÇÃO GRÁFICA: Rafael Souza / Sérgio Luna Martins REPORTAGEM: Frances Santana PUBLICIDADE: Letícia Molinares / Silvana Ribas REVISÃO E DIGITAÇÃO: Jussara Andrade / Sérgio Luiz Peixoto COORDENADOR DE ESPORTES: Amauri Machado (DRT 08266) BANCO DE DADOS: P. de Souza SECRETÁRIA: Norma Aparecida Vitoreti Ramalho CIRCULAÇÃO: Gilberto Carlos da Silva / Claudinei Rodrigo da Silva IMPRESSORES GRÁFICOS: Wilson Ricardo de Souza / Nathaniel Rodrigues / Willian Ribeiro CONSELHO EDITORIAL: Dr. José Álvaro Castanheira / Luiz Fernando de Andrade/ Clésio Peixoto / Juliana Monteiro

Qual a sua denúncia?

Banner

História do Jornal CORREIO

Untitled Document

História do Jornal CORREIO

Em 22 anos, o periódico conquistou credibilidade e a confiança de leitores, venceu dificuldades e comemora marca histórica.

Juliana Monteiro Jornalista

Modéstia a parte, não é qualquer veículo de comunicação que pode se orgulhar da histórica marca de 1000 edições. Em 22 anos de circulação, o Jornal Correio da Cidade conquistou credibilidade e a confiança do leitor. É o mais antigo periódico em circulação ininterrupta no Alto Paraopeba, líder em assinaturas e vendas avulsas, o que se reflete na maior tiragem mínima da região, hoje fixada em 5 mil exemplares. Mas por trás de uma história de sucesso, há vários capítulos de luta e de superação.

Leia mais.