Educação


Frequência escolar piora no Brasil



O tema proposto no trata das comemoraes da virada do ano, mas, quem sabe, pode persuadir algum sobre a necessidade urgente de fazer uma virada no modelo educacional brasileiro que tem levado tantos estudantes ao desnimo de frequentar aulas?

Em recente artigo, rika Fraga apresentou dados de uma pesquisa que mostram como anda a opinio de vrios estudantes sobre nosso sistema de ensino e por quais razes vrios deles esto deixando de frequentar a educao formal. Isso equivale ao mesmo que: esto abandonando a escola ou matando aulas.

Ela aponta para um paradoxo que facilmente compreendido. ?Tanto indicadores da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domiclios), feita pelo IBGE, quanto do Pisa, teste internacional de aprendizagem aplicado pela OCDE, ambos referentes a 2015, revelam que o percentual de brasileiros matriculados no ensino bsico vem aumentando. motivo para comemorao em um pas que comeou a se preocupar com a incluso educacional tardiamente em relao boa parte do mundo.? Se o nmero de matrcula aumentou, por que a frequncia caiu? Foi devido insatisfao estudantil com o sistema clssico de ensino. Outras explicaes ou justificativas s servem para confundir as opinies.

Para rika, ?Continua sendo, no entanto, difcil convencer os adolescentes de que vale a pena persistir e permanecer na escola at o fim. O IBGE mostrou que 1,3 milho de jovens de 15 a 17 anos, em 2015, havia abandonado os estudos precocemente. Esse dado no nos permite concluir, no entanto, que o ensino mdio nossa principal fonte de problemas porque, na maioria dos casos, a ruptura comea antes. Seis em cada dez adolescentes de 15 a 17 anos que no estavam estudando no ano passado desistiram ainda no ensino fundamental. Esse percentual j foi pior. Em 2005, era de 76,2%. Mas continua muito elevado. E, se esse nmero for analisado em conjunto com outras informaes recentes, a situao parece alarmante.?

Na pesquisa feita pela OCDE focando a ltima edio da avaliao do Pisa, em 2012, ficou claro que ?O percentual de alunos que responderam no ter perdido nenhum dia inteiro de aula duas semanas antes do exame era, por exemplo, de 79,7% contra 85,2% na mdia da OCDE em 2012. Desde ento, no entanto, houve uma piora expressiva nos nossos indicadores de frequncia. Em 2015, a parcela dos jovens brasileiros que afirmou nunca ter perdido um dia inteiro de aula nos 15 dias anteriores prova despencou para 52%, abrindo um hiato significativo em relao ao patamar de 80,3% na mdia dos pases desenvolvidos.? Continuamos a perguntar: Por que os estudantes esto faltando tanto s aulas?

Fraga diz que as concluses a partir desses dados se referem mdia de todos os estudantes e que a situao piora, ao mirar a situao dos alunos de classes sociais mais baixas. Por essa grave constatao, ela adverte: ?Est na hora de ouvirmos esses jovens, prestarmos mais ateno no que eles pensam e esperam da educao. Sem isso, ser difcil resgatar os milhes deles que, via abandono completo ou fuga gradual das aulas, esto se distanciando da escola.

O modelo clssico de educao formal j foi revolucionrio um dia. Encantou famlias e estudantes, deu lugar ao sol para muitas geraes. Cumpriu papel indispensvel na preparao de profissionais competentes e na formao cidad de nossos muitas geraes. S que a forma de exercer esse papel e funo social deixou de ter o mesmo impacto, influncia e importncias nos dias atuais. E isso no est sendo levado a srio.

Quando polticos e funcionrios pblicos das secretarias de educao se referem educao, s conseguem mirar seu passado com saudosismo. Falam da escola dos dias contemporneos como se ainda o seu passado estivesse vivo, tamanho o despreparo, a falta de criatividade ou de coragem para enfrentar e implantar mudanas. O sistema educacional brasileiro tem que se livrar desse desespero agonizante. Precisa de gente corajosa para isso. Voc conhece algum capaz, para fazer mudanas radicais?

Dados disponveis em <http://blog.andi.org.br/frequencia-escolar-tem-severa-piora-no-Obrasil#sthash.R66RKPJV.dpuf> Acessado aos 20/dez/2016.


Jos Antnio dos Santos

Mestre pela UFSJ

Contato: joseantonio281@hotmail.com



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Educação, no dia 26/01/2017




Comente esta Coluna