Pesca


Você gostaria de conhecer ou de voltar ao rio Guaporé?



Atendendo ao convite do ami­go Fausto Eduardo, pes­cador e apresentador do programa Caminhos do Brasil, fui pescar novamente no rio Guaporé, no Guaporé Pesca Hotel, onde estive com os Tracajás em 2007.
O hotel fica no município de Cabixi, em Rondônia, às margens do rio, que nessa região faz a divisa do Brasil com a Bolívia. Nesse trecho, o curso d’água é famoso pela grande quantidade de cacharas, e como as águas são muito limpas e com trechos rasos, é possível ver os cardumes no fundo do rio.
Foi intensa a ação dos cacharas, mas não faltaram as corvinas, ca­chorras largas e facão, tucunarés e pirararas. Chamou a atenção, po­rém, o grande número de famílias no hotel, que aproveitaram o período de férias escolares para levar os fi­­lhos e netos para pescarem.
Conheci um grupo de malucos que estava pescando com suas fa­mílias, entre os quais o Fernando com o neto Miguel, de 10 anos, Luís com o neto Mateus de 11 anos, Wal­dir e Dirceu, que saíram de Cu­ritiba em um caminhão preparado para expedições e foram conhecer e pescar no Guaporé.
Quando estive no Guaporé em 2007, só havia esse hotel na região. Hoje, em torno da pousada, formou-se uma vila com cerca de 150 casas e mais dois hotéis, o que aumentou muito a pressão sobre a pesca. O fa­to positivo é que a prática da pesca esportiva aumentou na região e os matadores de peixe já não são bem vistos. Guaporé é Guaporé e ao final de cinco dias de pesca, foram registradas muitas ações e vários peixes soltos. Para 2020, os Tracajás já têm vaga reservada pra lá. Gua­poré Pesca Hotel e rio Guaporé, eu recomendo.

Marco Aurélio Rossine
Pescador inveterado
Contato: koreirossini@gmail.com



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Pesca, no dia 02/08/2019




Comente esta Coluna