Educação


O animal satisfeito dorme



Eu me identifico com essa frase de Guimares Rosa, a quem aprendi a admirar pelos textos de Rubem Alves. Mesmo sendo considerado conservador para alguns colegas, ela me faz concluir que sou um sujeito moderado, mas um inconformado com o sistema. No perdi a capacidade de contestao, defendida pelo filsofo militante Herbert Marcuse. Isso no me deixa sentir como um animal satisfeito. Tomara que a insatisfao seja virtude.
?O sempre surpreendente Guimares Rosa dizia: ?o animal satisfeito dorme?. Por trs dessa aparente obviedade est um dos mais fundos alertas contra o risco de cairmos na monotonia existencial, na redundncia afetiva e na indigncia intelectual. O que o escritor to bem percebeu que a condio humana perde substncia e energia vital toda vez que se sente plenamente confortvel com a maneira como as coisas j esto, rendendo-se seduo do repouso e imobilizando-se na acomodao.
A advertncia preciosa: no esquecer que a satisfao conclui, encerra, termina; a satisfao no deixa margem para a continuidade, para o prosseguimento, para a persistncia, para o desdobramento. A satisfao acalma, limita, amortece. Por isso, quando algum diz ?fiquei muito satisfeito com voc? ou ?estou muito satisfeita com teu trabalho?, assustador. O que se quer dizer com isso? Que nada mais de mim se deseja? Que o ponto atual meu limite e, portanto, minha possibilidade? Que de mim nada mais alm se pode esperar? Que est bom como est? Assim seria apavorante; passaria a ideia de que desse jeito j basta. Ora, o agradvel quando algum diz: ?teu trabalho (ou carinho, ou comida, ou aula, ou texto, ou msica etc.) bom. Fiquei muito insatisfeito e, portanto, quero mais. Quero continuar, quero conhecer outras coisas.
Um bom filme no exatamente aquele que, quando termina, ficamos insatisfeitos, parados, olhando, quietos, para a tela, enquanto passam os letreiros, desejando que no cesse? Um bom livro no aquele que, quando encerramos a leitura, o deixamos um pouco apoiado no colo, absortos e distantes, pensando que no poderia terminar? Uma boa festa, um bom jogo, um bom passeio, uma boa cerimnia no aquela que queremos que se prolongue?
Com a vida de cada um e de cada uma tambm tem de ser assim; afinal de contas, no nascemos prontos e acabados. Ainda bem, pois estar satisfeito consigo mesmo considerar-se terminado e constrangido ao possvel da condio do momento. Quando crianas (s as crianas?), muitas vezes, diante da tenso provocada por algum desafio que exigia esforo (estudar, treinar, EMAGRECER etc.) ficvamos preocupados e irritados, sonhando e pensando: por que a gente j no nasce pronto, sabendo todas as coisas? Bela e ingnua perspectiva. fundamental no nascermos sabendo e nem prontos. O ser que nasce sabendo no ter novidades, s reiteraes.
Somos seres de insatisfao e precisamos ter nisso alguma dose de ambio. Todavia, ambio diferente de ganncia, dado que o ambicioso quer mais e melhor, enquanto que o ganancioso quer s para si prprio. Nascer sabendo uma limitao porque obriga a apenas repetir e, nunca, a criar, inovar, refazer, modificar. Quanto mais se nasce pronto, mais refm do que j se sabe e, portanto, do passado. Aprender sempre o que mais impede que nos tornemos prisioneiros de situaes que, por serem inditas, no saberamos enfrentar.
Diante dessa realidade, absurdo acreditar na ideia de que uma pessoa, quanto mais vive, mais velha fica; para que algum quanto mais vivesse mais velho ficasse, teria de ter nascido pronto e ir se gastando? Isso no ocorre com gente, e sim com fogo, sapato, geladeira. Gente no nasce pronta e vai se gastando; gente nasce no-pronta, e vai se fazendo. Eu, no ano que estamos, sou a minha mais nova edio (revista e, s vezes, um pouco ampliada); o mais velho de mim (se o tempo a medida) est no meu passado e no no presente.
Demora um pouco para entender tudo isso. Alis, como falou o mesmo Guimares, ?no convm fazer escndalo de comeo; s aos poucos que o escuro claro??

Excerto do livro ?No nascemos prontos! ? provocaes filosficas?. De Mrio Srgio Cortella
Jos Antnio dos Santos
Mestre pela UFSJ e membro da ACLCL
Contato: joseantonio281@hotmail.co



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Educação, no dia 05/07/2018




Comente esta Coluna