Educação


Geração mimada na universidade



No sei se a melhor atitude contra uma gerao de adolescentes mimados que chegam aos cursos de graduao seja o que est relatado abaixo. Na minha percepo, as coisas s pioram.

O ingresso de alunos cada vez menos autnomos na graduao tem levado universidades privadas a adotarem prticas de colgio, como reunio de pais e boletins. O centro universitrio Belas Artes, na Vila Mariana (zona sul de SP), passou a promover, h um semestre, um encontro entre pais e professores depois da primeira prova. Alm disso, a famlia pode acompanhar notas e a frequncia do aluno no portal. Esta ao ainda aceitvel.

O intuito da reunio discutir as dificuldades dos estudantes e passar confiana aos pais, sobretudo aos que se mostram superprotetores. O coordenador do curso de publicidade, Eric Carvalho, 38, diz que a prtica decorre da frequncia com que estudantes, at nos anos finais da graduao, recorrem aos pais para reclamar de notas.

Segundo Carvalho, tendem a ser mais conscientes os alunos que pagam a prpria mensalidade - de R$ 1.482 a R$ 3.513 na Belas Artes. Mas em instituies frequentadas pela classe mdia alta, a famlia costuma custear os estudos e os jovens precisam de um empurrozinho, diz. Para ele, esses estudantes tm autonomia limitada e repertrio incipiente. "No quero generalizar, mas uma gerao um pouco mais mimada", afirma.           

Na ESPM (Vila Mariana), com mensalidade na faixa de R$ 3.000, tambm se nota a presena dos pais. O diretor de graduao, Luiz Fernando Garcia, diz ter registro -"graas aos cus, poucos"- de me reclamar de reprovao em MBA (especializao). Durante o vestibular, a escola convida as famlias para conhecer instalaes e professores. Os aprovados podem assistir aula inaugural com os pais. como um rito de passagem. "A gente refora o recado: 'Muito obrigado pela confiana. A partir daqui, conosco'", diz Garcia.           

Ele conta que se tornou comum mes acompanharem filhos at a sala de espera em entrevistas do estgio, "e ainda quererem entrar junto". A universidade Mackenzie, na Consolao (centro), passou, no ano passado, a fazer um encontro de incio de curso com pais, que lotou um espao de mais de 900 lugares. O reitor, Benedito Aguiar, diz se preocupar com a "afluncia" de estudantes a bares em horrio de aula. Nesse sentido, analisa, falta maturidade para perceber que precisa de "afinco e dedicao" aos estudos. Um indicador da mudana de perfil a queda na procura pelo perodo noturno. Com curso pago pela famlia, alunos no precisam trabalhar e so mais "vigiados" em casa. "O protecionismo talvez contribua para a acomodao de alunos", afirma o reitor.

Isso apocalptico. Esses bebs vo ficar em casa at os 40 anos, pois essa tem sido uma forte tendncia, principalmente nos centros urbanos com maior insegurana social. Assim, vivero custa da boa aposentadoria dos pais de classe mdia. Espera-se, no mnimo, que se tornem fora social ativa para a produo e PIB nacional e no apenas pesos mortos.

Inacreditavelmente, estamos vivendo a infantilizao da juventude e das relaes familiares. Bebem at morrer, mas correm ao celular para pedir ajuda aos pais, quando se veem em apuros. A pseudoindependncia levantada junto com o copo de chopp ou cerveja esconde a falta de autonomia intelectual, no mnimo, esperada de quem faz uma faculdade.

Na minha percepo, a medida tomada de fazer reunies com os papais de filhos universitrios s contribui para formar uma gerao submissa, alienada, aptica e dependente na contramo de um mundo que pede pro-atividade. No estou entendendo nada!

Fonte ampliada: <http://forum.jogos.uol.com.br/faculdade-faz-ate-reuniao-de-pais-contra-geracao-mimada_t_3400933?page=1> Acessado em 22/03/2015.

Jos Antnio dos Santos

Mestre pela UFSJ

Contato: joseantonio281@hotmail.com



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Educação, no dia 02/04/2015


Comente esta Coluna