Comunidade


Ação humana é a principal responsável pela temporada de queimadas



Nesta época do ano, é comum o aumento de queimadas devido ao período de estiagem que deixa a vegetação mais seca, situação favorável à deflagração do incêndio. Isso sem falar da ação humana seja intencional ou por descuido, que é apontada como a grande responsável pela maioria das queimadas.

A afirmação é do comandante da 2ª Companhia do Corpo de Bombeiros, capitão Ronaldo Rosa de Lima. A principal advertência que ele faz é quanto à soltura de balões. "Além de perigoso, é ilegal conforme a Lei de Crimes Am­bientais. O balão pode cair aceso em florestas, residências e indústrias, produzindo grandes prejuízos patrimoniais, ameaça ao nosso meio ambiente e até mesmo colocando a integridade física e a vida das pessoas em risco", alerta, ressaltando ainda que a falta de aceiro (abertura na vegetação com material combustível que atua como barreira para retardar ou impedir o progresso de incêndio florestal), a falta de chuvas e a falta da conscientização das pessoas é um agravante, já que a vegetação fica muito seca neste período.

Neste ano, a corporação registrou queimadas nas cidades de Conselheiro Lafaiete, Ouro Branco e Congonhas. No entanto, até o momento, em comparação com o ano passado, o número de solicitações feitas ao Corpo de Bombeiros caiu.

Em relação aos procedimentos para controlar o fogo, o comandante destaca, que deve-se trabalhar com a prevenção. "Não se deve acumular lixo próximo às residências e é preciso manter o quintal limpo e capinado. Fazer aceiro evitando que o incêndio passe de uma propriedade para a outra também é uma ação que o cidadão pode fazer de forma preventiva. Os bombeiros utilizam abafadores, bombas costais e fazem uso do caminhão de combate a incêndios, além de contar com o apoio de aeronaves do Batalhão de Ope­rações Aéreo do Corpo de Bombeiros e do IEF [Instituto Estadual de Florestas]", informa. 

Ao falar sobre a degradação do meio ambiente, Ronaldo observou algumas medidas práticas como não jogar pontas de cigarro pela janela ao trafegar nas estradas e rodovias, pois com a baixa umidade deste período, a vegetação seca se incendeia com muita facilidade. "Ao realizar acampamentos, seja bastante cuidadoso na hora de acender fogueiras, velas e lampiões. Só acenda as fogueiras após limpar bem o local, retirando completamente a vegetação em volta. Procure fazer sua fogueira em local aberto, como por exemplo, numa clareira ou à beira do rio, para que o fogo não prejudique os galhos e folhas das árvores que estejam em volta ou acima dela. Quando não for mais utilizar a fogueira, certifique-se que as brasas estão apagadas e resfriadas", orientou, destacando ainda a importância de enterrar as sobras de material como carvão, brasas e cinza e jamais jogar os restos da fogueira no rio.

Outra dica é para nunca se ausentar do acampamento, deixando para trás a fogueira acessa ou com torrões em brasa. Não jogue lixo por aí. As latas de metal, os cacos e garrafas de vidro podem se aquecer ao sol e acabar dando origem às queimadas.

Denúncias podem ser feitas pelo número 193 para atuação imediata do Corpo de Bombeiros.




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Rafaela Melo, no dia 02/06/2016


Comente esta Notícia