Comunidade


Motoristas e cobradores da Viação Presidente entram em greve



Usuários do transporte coletivo em Lafaiete foram surpreendidos na manhã de hoje, quinta-feira, dia 2/06, com a greve dos motoristas e trocadores da Viação Presidente. Como o Jornal CORREIO já havia divulgado, na edição impressa, os trabalhadores do transporte coletivo pleiteiam o reajuste pela métrica do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), o que equivale a 11,08%.

A primeira proposta apresentada pelos patrões, de 4% de aumento, foi submetida à apreciação dos trabalhadores em assembleias em março realizadas em Lafaiete, Congonhas e Ouro Branco, sendo rejeitada.

Uma segunda proposta foi apresentada e chegava ao patamar de 7,5% de aumento. O Sincol argumenta que um reajuste superior a esse, inviabilizaria as empresas e poderia haver demissões. As negociações são mediadas pelo Ministério do Trabalho de Conselheiro Lafaiete, mas há o pedido para que as conversas ocorram separadamente, devido à realidade financeira de cada cidade.

As empresas pretendem inclusive aplicar o aumento de 7,5% já na folha de maio, que é paga em junho. A medida parece não ter agradado e a categoria aderiu a greve em Lafaiete.

Na semana passada, questionado sobre o movimento dos trabalhadores, uma fonte ligada às empresas de transporte coletivo disse não acreditar na paralisação e reafirmou que continuará insistindo nas negociações. Segundo informações repassadas pela fonte, um motorista da Viação Presidente recebe, hoje, o equivalente ao de um profissional que realiza o transporte intermunicipal, chegando ao salário de R$ 1.972 mais ticket de alimentação de R$ 259 e plano de saúde integral.  

Leia reportagem completa na edição impressa




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Rafaela Melo, no dia 02/06/2016


Comente esta Notícia