Comunidade


Lafaiete rende homenagens no Dia Municipal das Violas de Queluz



Na noite de terça-feira, dia 29, o Dia Mu­nicipal das Violas de Queluz foi comemorado no Centro Cultural Solar do Barão de Suassuhy com homenagens a personalidades que contribuem para a perpetuação da história do instrumento símbolo da cidade.Representantes das famílias Meirelles e Salgado, antigos fabricantes das Violas de Queluz marcaram presença na solenidade. Abrindo a noite de homenagens, a Banda Scarcéus recebeu um certificado pela defesa da música e elevação do nome de Minas Gerais e da homenagem ao seu povo na canção "Meu chegado", usada como vinheta institucional da rede Globo Minas em homenagem a Minas Gerais. Representando a banda, o vocalista Henrique Papatella recebeu a homenagem das mãos do prefeito Ivar de Almeida e da secretária municipal de Cultura, Mauricéia Aparecida Ferreira Maia.O segundo homenageado da noite foi o mú­sico Tuca Boelsums, que iniciou carreira no gru­po "Queluz de Minas" no início da década de 80.  Tuca, que integra também os grupos "Samba do Bem" e "Viola Inviolada", contribui para divulgar a história e a importância das violas, da qual é exímio tocador.Também recebeu homenagem o cantor Leo­nardo KenjiYoshioka, conhecido no meio musical como "Leo Japa". Apaixonado por instrumentos e curioso em descobrir os mistérios dessa arte secular, tradicional de Lafaiete, Leo Japa começou a trabalhar como luthier e fabricante de instrumentos.Já a servidora pública, Sônia Cardoso, recebeu o certificado pela sua dedicação na pesquisa das Violas de Queluz desde os primeiros momentos quando as famílias Meirelles e Salgado iniciaram a divulgação dos seus acervos particulares. O trabalho de Sônia Cardoso fundamentou a criação do decreto municipal que deu a cidade de Conselheiro Lafaiete o título de "Violas de Queluz", em 2007. Outra contribuição foi o levantamento de dados para embasar o decreto que criou o Dia das "Violas", em 2009 e o registro do patrimônio imaterial reconhecido e apresentado ao IEPHA (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais), em 2014.Para Ivar, a comemoração do Dia das Violas Queluz significa perpetuar a cultura do instrumento símbolo de Conselheiro Lafaiete. O prefeito também lembrou que a atual administração criou no Centro Cultural Solar do Barão do Suassuhy o Memorial das Violas de Queluz com o apoio das famílias Meirelles e Salgado. "O memorial está aí para reviver a história das Violas de Queluz que é de Lafaiete e repercute nos quatro cantos do mundo", frisou o prefeito.A secretária municipal de Cultura, Mauricéia Aparecida Ferreira Maia, ressaltou que a Viola de Queluz é um símbolo para muitas famílias. "A viola está em vários ambientes. Ela está presente na catequese, na Folia de Reis e nas rodas de violeiros", disse a secretária.Ao final do evento houve a apresentação de moda de viola com a participação de vários violeiros da cidade. Com um repertório bem conhecido do público, os violeiros arrancaram aplausos e demonstraram a importância das Violas de Queluz como patrimônio imaterial de Conselheiro Lafaiete.




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Rafaela Melo, no dia 05/04/2016


Comente esta Notícia