Comunidade


Após denúncias, comunidade relata redução do tráfico nos arredores do Monsa



Após o Jornal CORREIO denunciar a escalada do tráfico na porta dos fundos da escola Monsenhor Horta, moradores relataram que houve uma redução de 80 % do consumo de drogas na localidade, apelidada de minicracolândia.Para a comunidade, o recado foi dado: "ainda existem normas e valores que a sociedade precisa respeitar e o uso de entorpecentes nunca foi e nunca será tratado como legal e apologicamente correto, enquanto existirem cidadãos de bem", manifestou-se um dos moradores que denunciaram o problema na localidade.    

Sobre a denúncia de moradores acerca da compra, venda e uso de drogas nas imediações da escola, a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais e a direção do educandário acreditam que a questão das drogas e da violência é um problema social grave, complexo. "Assim, toda a sociedade deve estar articulada ? pais, professores, estudantes, trabalhadores da Educação, gestores públicos, órgãos de segurança e a população em geral  ? a fim de  atuar para atacar suas causas e diminuir suas consequências", resume a nota.

Para lidar com o problema da violência nas escolas, seja ela psicológica ou física, a secretaria criou o Programa de Convivência Democrática no Ambiente Escolar. O programa se fundamenta nas concepções de educação em direitos humanos e da formação integral dos sujeitos e tem como um dos objetivos a prevenção da violência nas escolas. O programa articula estratégias educativas para promover e defender direitos, compreender e combater a violência, incentivar a participação política da comunidade escolar, valorizar a diversidade cultural e fortalecer a política de Educação Integral nos territórios onde as escolas estão inseridas.

Por meio dos processos formativos, materiais pedagógicos e da incorporação de novas metodologias na prática educativa espera-se que as escolas construam seus planos de convivência, como parte de seu Projeto Político Pedagógico (PPP), com as suas estratégias para a prevenção e enfrentamento da violência no ambiente escolar.

Especificamente, com relação à escola estadual Monsenhor Horta, a nota da Secretaria de Educação destaca que, há mais de sete anos, a es­cola não registra nenhum tipo de ocorrência de violência, sequer pichações ou outros vandalismos. Além disso, a secretaria afirma que a Polícia Militar monitora, sempre que possível, a saída dos estudantes e essa ação acaba por inibir a presença de pessoas estranhas à escola no entorno.

Como equipamento social, a escola está situada, como deve ser, dentro de uma comunidade, sendo afetada por ela de diversas formas. "Por isso, o papel da gestão escolar é entender em que ambiente está, construir parcerias, atuar sobre ele, mas de forma a garantir que a escola cumpra o seu objetivo de socialização e espaço de conhecimento", destaca a nota da secretaria.  

 




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Rafaela Melo, no dia 30/03/2016


Comente esta Notícia