Política


Relatório aponta que Júlio Barros pagou 13º a secretários de forma ilegal



Uma comissão especial formada na Câmara de Lafaiete comprovou que houve pagamento de 13º salário ao primeiro escalão do ex-prefeito Júlio Barros (PT). A denúncia foi apresentada por uma munícipe, identificada como Vilma Reis. A ilegalidade do salário-extra para secretários municipais se configura em razão de não haver, à época, dispositivo legal que permitisse o recebimento por parte dos agentes políticos do governo petista. Apenas em 2012 que foi aprovada uma lei regularizando o pagamento do benefício a agentes políticos. A legislação foi alvo até de grande polêmica levantada, com exclusividade pelo Jornal CORREIO. Em razão da forte pressão popular, alguns edis abriram mão do valor. Uma ação do Ministério Público, alegava que não houve respeito ao princípio da anterioridade e exigiu a devolução dos valores recebidos pelos edis.

Leia a matéria completa na edição impressa, que estará nas bancas a partir deste sábado, dia 27 de junho. 




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Rafaela Melo, no dia 26/06/2015


Comente esta Notícia