Opinião

A verdade é como azeite

O ex-presidente do Uruguai José Mujica afirmou em seu livro Una oveja negra al poder que Lula lhe confessou ter governado o Brasil com propinas e chantagens. Não é surpresa, vindo de quem institucionalizou a corrupção e aparelhou o Estado com o discurso de que “os fins justificam os meios”, em busca da “igualdade social”. Mas foi tudo pelo poder.Lula já se revelava cínico quando, com o publicitário Duda Mendonça, tomou a polêmica garrafa do caríssimo vinho Romanée Conti, paga com dinheiro do Mensalão. Depois, esnobou a faixa mais culta da população dizendo que “não precisou estudar para ter o diploma de Presidente da República”.Recentemente, após convocar os sem-terra para enfrentarem as manifestações da classe média nas ruas, foi dormir no luxuoso Copacabana Palace.Por fim, a Polícia Federal descobriu que a Construtora Camargo Corrêa, envolvida no escândalo da Petrobrás, doou mais de R$1,5 milhões à empresa LILS, pertencente a Lula, e outro tanto ao Instituto Luís Inácio Lula da Silva, entre 2011 e 2013, “para custear palestras de Lula” mundo afora.

Tanta benemerência assusta!

Ao mesmo tempo em que os bilhões roubados da Petrobrás são buscados como agulha no palheiro, descobrimos que os juros cobrados pelos empréstimos sigilosos do BNDES a Cuba e outros países são bem menores que os cobrados dos brasileiros. E as garantias dessas dívidas são títulos das dívidas desses países, verdadeiros “papeis podres” que ninguém nunca vai comprar. Talvez o Brasil, se continuar governado pelo PT.Enquanto isso, na contramão das ruas, o Congresso Nacional fez um arremedo de reforma política, votando tudo para não mudar nada, e ainda construirá gabinetes maiores e mais luxuosos para os deputados.Já não me escandalizo, meu escandalômetro queimou de tanto ser usado no máximo.Permaneceremos na crise econômica por muitos anos porque não investimos em Educação como deveríamos. Para um crescimento sustentado precisaríamos, lá na frente, de mão de obra qualificada, o que não cuidamos de produzir na escala necessária. O que vemos sair das nossas escolas são hordas de analfabetos funcionais. Não criamos tecnologia suficiente para exportamos produtos de maior valor agregado porque não temos técnicos nem engenheiros qualificados em quantidade adequada.Igualdade social é uma utopia socialista que nunca existirá. Afinal, uns sempre trabalharão mais do que os outros, e por aí vai. Ideologias à parte, devemos lutar por igualdade de oportunidades e punição para a corrupção. Não existe nada melhor para isso do que investimento maciço em Educação.Sobram discursos ideológicos, mas o Brasil precisa mesmo é de gente honesta no poder. Se o político não tem princípios, ideologia não serve de nada, é perfume ruim e ridículo. 

                                                                                   Valério Augusto de Miranda Ferreira

                                                                                                          Médico

                                                                                        Contato: vamferreira@oi.com.br




Notícia enviada por Rafaela Melo, no dia 22/06/2015




Comente esta Notícia


No momento, não temos nenhuma enquete ativa.


Galerias

Confira a galeria de fotos do carnaval 2017!

Enquetes


No momento, não temos nenhuma enquete ativa.


Enquetes 2

Qual notícia chamou mais sua atenção?


Colunistas




EXPEDIENTE

DIRETOR-PRESIDENTE E EDITOR: Luiz Fernando de Andrade GERÊNCIA GERAL: Clésio Samuel Luiz Peixoto SUB-GERENTE: Edmilson Moreira Dutra REDATORA: Juliana Monteiro REDATOR-ADJUNTO: Hugo Pacheco Jr. REPORTAGEM: Frances Santana / Rafaela Melo PAGINAÇÃO GRÁFICA: Daniel Vieira / Raquel Gonçalves PUBLICIDADE: Mara Rúbia de Oliveira Silva / Silvana Ribas REVISÃO E DIGITAÇÃO: Jussara Andrade COORDENADOR DE ESPORTES: Amauri Machado (DRT 08266) BANCO DE DADOS: P. de Souza SECRETÁRIA: Norma Aparecida Vitoreti Ramalho CIRCULAÇÃO: Valdiney Rodrigo Vieira Rodrigues IMPRESSORES GRÁFICOS: Wilson Ricardo de Souza / Willian Ribeiro CONSELHO EDITORIAL: Dr. José Álvaro Castanheira / Luiz Fernando de Andrade / Clésio Peixoto / Juliana Monteiro