Cultura


Instituto destaca ligação histórica de Lafaiete com a Estrada Real




Lafaiete é uma das 11 cidades que serão pontos de carimbo do passaporte de turistas que passarem pela rota turística da Estrada Real/Caminho Novo. Idealizado pelo Instituto Estrada Real nos mesmos moldes de trajetos conhecidos, como o Caminho da Fé" (SP) e o Caminho de Santiago de Compostela (Espanha), o projeto visa a fomentar ainda mais o desenvolvimento da rota turística, que inclui a cidade. Pelo projeto, o turista que percorrer o caminho novo da Estrada Real passará por pontos onde receberá um carimbo em seu passaporte. Completando a viagem com pelo menos oito carimbos, o viajante receberá um certificado emitido pelo Instituto Estrada Real.

O lançamento oficial do passaporte aconteceu em Juiz de Fora, em solenidade realizada na terça-feira, dia 28.  Lafaiete esteve representada pela chefe de sessão de Turismo, Clarissa Maria Alves, e pelo secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Alessandro Dalla Vedova, que destacou a criação de oportunidades para o turismo local: “Além da bela história que nossa cidade possui, estamos criando alternativas para manter os turistas aqui, como exemplo o Anda Lafaiete, que já ocorreu três vezes e tem previsão de nova caminhada para maio. Nossos contatos em diversas áreas fizeram com que Lafaiete conseguisse maior visibilidade também no turismo”, afirmou.

O passaporte

Para quem deseja se aventurar pela região e desfrutar as belezas naturais, o primeiro passo é retirar o passaporte. Para isso, o viajante terá que preencher um formulário on-line na página da Estrada Real (www.estradareal.tur.br/passaporte). Assim que começar a sua viagem – seja a pé, de carro, a cavalo ou de bicicleta – o turista deve se dirigir a um dos postos de turismo específico (em Ouro Preto, Paraty, Petrópolis, Tiradentes ou Diamantina) e retirar o documento, que tem formato similar ao passaporte utilizado em viagens internacionais. Em cada posto que passar, o turista receberá o carimbo gratuitamente.  Em Lafaiete o passaporte já pode ser carimbado na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, na praça Barão de Queluz, 11, Centro e na Secretaria Municipal de Cultura, localizada no Castelinho.

No mesmo link, o viajante tem acesso a documentos em PDF com várias informações sobre o Caminho Velho, Cainho Novo e Caminho dos Diamantes, que incluem os atrativos turísticos de cada roteiro, dicas de como planejar a sua viagem, mapas, telefone e endereço de hotéis, restaurantes, enfim: um guia indispensável para quem gosta de estar bem informado e de não perder nenhum dos atrativos que o roteiro tem para mostrar.

O formulário de solicitação do passaporte tem validade de 60 dias a partir da solicitação. Na hora de retirar o documento, é necessário levar um quilo de alimento não perecível ou um uma peça de roupa, que será doado para uma instituição de caridade.

Caminhos

Para garantir que o turismo aproveite o máximo que a Estrada Real pode oferecer, os roteiros planilhados permitem percorrer os caminhos com base nos marcos históricos locais. E é no Caminho Novo, o mais jovem da Estrada Real, que Lafaiete está inserida. O percurso guarda uma série de elementos da época das bandeiras e das primeiras explorações do território. São túneis, chafarizes e fazendas, hoje transformados em confortáveis meios de hospedagem, que resgatam construções e costumes dos séculos XVIII e XIX.

Os 515 km do Caminho Novo são divididos em 18 planilhas. Dos 515 quilômetros, 32% estão asfaltados (166 km), e 5% são de trilha (25 km). Os outros 63% são de estrada de terra, perfazendo 324 km. Cada um dos trechos reserva ao viajante possibilidades de turismo que aliam atrativos naturais e culturais. No caso do viajante que optar pelo Caminho Novo, são necessários oito carimbos, em cidades diferentes para conseguir o certificado do Instituto Estrada Real.

 Revivendo a história

O caminho de Ouro Branco a Lafaiete é marcado por histórias que envolvem o inconfidente Joaquim José da Silva Xavier, Tiradentes. Nesse trecho, encontra-se a antiga Fazenda Carreiras, um local de criação, venda ou troca de cavalos e parada para aqueles que faziam a viagem do Rio de Janeiro à Vila Rica pela Estrada Real. Com o passar do tempo, o local ficou conhecido como Casa de Tiradentes, tanto pelo fato de afirmarem que o alferes pernoitou por lá em 1788, durante sua viagem de São João del-Rei a Ouro Preto, quanto pelo fato de D. Pedro II citar em seu Diário de Viagem que lá se reuniram os inconfidentes. Apesar disso, a documentação existente comprova somente que Tiradentes pernoitou na Estalagem da Varginha, próxima à Fazenda Carreiras.

Cerca de 6 km à frente, o viajante passa pelo local onde ficava a Estalagem da Varginha. Nesse ponto, ainda resiste ao tempo uma antiga árvore gameleira, onde foi exposta uma das pernas de Tiradentes, após seu enforcamento e esquartejamento no Rio Janeiro. Seus restos mortais foram transportados pelo Caminho Novo da Estrada Real até Vila Rica.




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Rafaela Melo, no dia 14/05/2015


Comente esta Notícia