Quarta, 15 de Julho de 2020
Prematuro de 32 semanas, Murilo nasceu na BR-040, quando Caroline seguia para um hospital em BH


Mãe que sonhava com parto humanizado conta como foi ter o bebê na estrada



 

Caroline Fernandes esperou ansiosamente pela vinda do seu primeiro filho. Sonhando com um parto humanizado [práticas que proporcionam às gestantes e aos bebês o conforto e a segurança], ela se preparou com uma doula para receber Murilo. O que a moradora do bairro Manoel Correia não imaginava é que o nascimento do primogênito fosse tão diferente do planejado e virasse notícia na região. Na quarta-feira, dia 10, com apenas 32 semanas, o menino veio ao mundo na estrada mesmo, a caminho do hospital em BH. E o mais curioso é que uma obstetra passava no pedágio da BR-040, bem na hora do nascimento, e ajudou no parto.

Para a mãe, tudo aconteceu como tinha que ser, como Deus tinha planejado para a chegada do Murilo: “Naquele dia, amanheci com um pouco de cólica e passei o dia todo assim. Por volta das 18h, minha bolsa estourou. Entrei em contato com meu obstetra de Lafaiete e ele pediu para eu ir para Belo Horizonte, ao Mater-Dei. Meus pais foram comigo, porque meu esposo, Wedson Luiz, estava trabalhando; encontraríamos com ele no caminho para seguir para o hospital. Porém, próximo a Gagé, as dores começaram a ficar intensas. Encontramos com meu esposo e disse para ele que as dores estavam bem fortes e as contrações, próximas uma da outra. Pelo pouco que eu estudei com uma doula, porque queria muito o parto humanizado, sabia que estava próximo do meu filho nascer. Falei com meu esposo que não daria tempo de chegar no Mater-Dei e teria que ser feito outra coisa. Ele falou que acionaria a Via 040 para dar suporte para nós”.

Ao chegar ao pedágio, Wedson Luiz pediu para as funcionárias da Via 040 acionarem uma ambulância. E, enquanto aguardavam, uma ginecologista e obstetra, chamada Isabela Rossi, passou pelo pedágio e ouviu quando as moças do guichê comentaram sobre o caso: “Então, ela foi me ajudar, ficou me orientando até a ambulância chegar. Me colocaram numa maca e a Isabela disse que não daria tempo mesmo; que o parto teria que ser ali mesmo. Então entrei em trabalho de parto, fiz as forças necessárias até que o pequeninho guerreiro nascesse. Nasceu forte, chorou e todo mundo ficou surpreso, porque ele era de 32 semanas, muito prematuro ainda, mas não precisou de oxigênio”, contou a mãe.

Para Caroline, todas as coincidências foram ações divinas: “Eu acredito que Deus está com a gente o tempo todo e, naquele dia, foi uma ação dEle uma obstetra passar lá naquele exato momento. Ela estava indo de BH para Bar­ba­cena e tinha que ter saído 2h antes, mas teve um imprevisto. Se ela tivesse passado um minuto antes ou um minuto depois não teria escutado a conversa. Ela passou justamente no horário que teria que passar. Deus a colocou lá”.

Apesar de todos os contratempos, tudo ocorreu bem e mãe teve um parto tranquilo e emocionante: “O suporte da Via 040 foi excepcional: foi muito rápido, todos muito atenciosos. A médica Andressa ficou com o Murilo naquele aquecedor, conversando com ele, com muito carinho. Foi um carinho com minha família toda. Só tenho a agradecer a todos”, conta Caroline. Murilo é o 21° bebê a nascer na Via 040 desde 2014, início da operação da concessão.




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 28/06/2020


Comente esta Notícia