Região


Chuvas intensas: Lafaiete, Congonhas e Ouro Branco monitoram áreas de risco



Com fortes chuvas que vem provocando transtornos nas cidades, as prefeituras de Lafaiete, Congonhas e Ouro Branco estão em alerta. Todas elas divulgaram as ações que tem sido tomada, nesta sexta-feira, dia 24, e os números que as pessoas devem ligar em caso de emergência. Confira:

Lafaiete

Com a intensidade das chuvas ocorridas nas últimas horas em Lafaiete, como em toda a região do Estado de Minas Gerais, a administração municipal, diante da situação, mobilizou equipe da Defesa Civil, secretários e servidores do setor de obras, Guarda Municipal e departamento de transportes do município que estão em total alerta. Hoje pela manhã a equipe da Defesa Civil do município já vistoriou diversos pontos e atendeu ocorrências de pequenos deslizamentos.

O nível do Rio Bananeiras e adjacentes subiu, sendo que em alguns pontos transbordou a calha causando alagamentos de ruas como na localidade de Amaro Ribeiro e BR 040, próximo a entrada da cidade na região da Barreira. Também houve deslizamento de terra próximo ao viaduto do São Dimas, porém a Via 040 já está mobilizada para executar os trabalhos de contenção.

Diante da situação preocupante, porém sem ocorrências graves até o momento, toda a equipe da prefeitura está em estado de alerta, caso haja necessidade de alguma intervenção. O nível do rio está sendo monitorado pela Defesa Civil.

O prefeito Mário Marcus está acompanhando pessoalmente as ações e orienta a população que esteja próxima a locais e situações de risco que fique atenta e informe imediatamente à Defesa Civil qualquer alteração próxima às suas residências. A atenção deverá ser redobrada em todos os locais e medidas preventivas estão sendo adotadas para evitar danos.

Em caso de necessidade ligue:

Defesa Civil: 3769-2965

Guarda Municipal: 3769-3032

Ouvidoria Municipal: 3769-2585.

Congonhas

A Secretaria de Obras de Congonhas está executando serviços de limpeza e de remoção de terra, arrastada pelas chuvas intensas. Enquanto isso, a Defesa Civil Municipal realiza vistorias e encaminha a outros órgãos competentes medidas a serem tomadas. O volume do rio Maranhão no início desta tarde de sexta-feira, 24 de janeiro, é de 4 metros no Centro da cidade.

Na rua Noemi Ferreira Lobo, no bairro Basílica, houve um desmoronamento de terra. Pela manhã, a equipe retirou os entulhos da via, que já foi liberada. A Prefeitura também já retirou duas árvores que haviam caído, uma na estrada de acesso ao Parque da Cachoeira, e outra na rua Altary de Souza Ferreira, no Boa Vista. Esta chegou a cortar a fiação elétrica.

O córrego que passa sob o viaduto da linha férrea entre as ruas Pio André e Pedro Cordeiro de Freitas, no Jardim Profeta, transbordou, entrou em algumas casas e, como o nível da água segue subindo, ameaça outras. A Defesa Civil registrou dados de moradores para o caso de necessitar enviá-los para abrigos e outras providências. A MRS coordena a passagem de pedestres por sobre a linha férrea.

O córrego Macaquinhos transbordou e fechou a ligação dos dois lados do Jardim Profeta sob o viaduto da BR- 040. Também no Jardim Profeta, um barranco cedeu sobre a residência da rua Nova Vista, nº 133. A moradora está na casa da família, que também é ameaçada pela sequência do barranco. A Defesa Civil realizará nova vistoria esta tarde para tomar as providências cabíveis.

No Joaquim Murtinho, parte de um barranco também cedeu, atingindo casa e veículos. A encosta do rio Goiabeiras que delimita o estacionamento do Terminal Rodoviário foi interditado inicialmente pela Guarda Municipal e, em seguida, também pela Defesa Civil, porque ameaça ceder.

A Defesa Civil segue realizando vistorias em outros pontos da cidade esta tarde, sendo uma delas no bairro Alvorada, e monitorando o volume dos rios. Até o momento, nenhum deles transbordou na área central da cidade, mas sim na região da Vila Marques.

Desde essa quinta-feira, a avenida Alessandro Ferreira da Silva, de acesso do Terminal Rodoviário ao Santa Mônica, está completamente interditada por medida de precaução, até que haja estiagem, já que a via se encontra em obras. Para chegar àquele bairro, a Diretoria de Trânsito da Prefeitura sugere que veículos leves passem pelo Zé Arigó. Já veículos leves, caminhões e ônibus, pelo Bairro Vila Andreza.

Moradores de encostas, ruas íngremes e população ribeirinha devem redobrar a atenção e procurar local seguro, caso necessário. A Defesa civil está atenta aos fenômenos meteorológicos e alerta para atender solicitações de atendimento.

Em caso de necessidade, ligue:

Durante o horário comercial: 3731-4133 ou 199

Qualquer dia ou hora: 9.9898-6914 

A previsão é de volume de chuva, segundo a Agência Climatempo, foi mantida em 85 mm para esta sexta, mas foi elevada de 30 mm para 60 mm para o sábado.

Ouro Branco

A equipe da Prefeitura de Ouro Branco se reuniu na manhã dessa sexta-feira, dia 24 de janeiro, para um balanço das atividades, monitoramento e ações de prevenção em caso de necessidades, tendo em vista as chuvas que tem atingido as cidades da região. A equipe e Coordenadoria e Proteção em Defesa Civil estão de plantão e realizam as atividades necessárias para suporte a população da cidade.

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil e a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de Ouro Branco alertam para a probabilidade de fortes chuvas e ventos, com possibilidade de queda de granizo, para nossa região nos próximos dias.

Informe:

Moradores de áreas de risco e ribeirinhas devem ficar atentos e ao perceberem o aumento do leito dos córregos devem evacuar suas residências e acionar:

Defesa Civil de Ouro Branco: (31) 9-8605-3102 / 9 8798-4813 e 9 8655-8543 

Bombeiro Militar: 193

Polícia Militar: 190

Samu: 192




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 24/01/2020


Comente esta Notícia