Saúde


Longe de bater a meta de vacinação, Lafaiete já tem dois casos de SRAG por influenza

Imunização termina dia 15 e só 45% dos professores se vacinaram; doença já provocou mortes em Minas Gerais


A poucos dias de se encerrar a campanha de vacinação contra influenza, a situação em Lafaiete é preocupante: de acordo com dados repassados pela Secretaria Municipal de Saúde, Lafaiete registrou, pelo menos, dois casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza – um deles descartado, mas evoluiu para óbito por outro diagnóstico, e o outro caso confirmado. O paciente já teve alta hospitalar e passa bem. Para agravar a situação, até o dia em que os dados foram computados, a cidade estava longe de alcançar a meta. O Departamento de Vigilância em Saúde/ Setor Imunização informou que foram vacinados, até a última semana, apenas 68,96% do grupo prioritário pelo Ministério da Saúde.
O grupo mais ausente é o dos professores: 45,48% (709 pessoas), mas nenhum dos grupos prioritários atingiu a meta de 90% preconizada pelo Ministério da Saúde. Foram vacinadas 5.071 crianças (60,67%), 708 gestantes (56,24%), 10.806 idosos (79,70%), 66 puérperas (80,19%) e 1.987 trabalhadores da saúde (82,35%). “As pessoas que ainda não se vacinaram podem procurar os Postos Estratégia Saúde da Família e Unidade Central de Vacinação no horário das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. A campanha está prevista até o dia 31 de maio”, explica a enfermeira referência técnica em Imunização da Unidade de Vacinação, Ana Paula de Castro Meireles.
Como os vírus sofrem mutações e as doenças costumam impactar de maneira diferente ao longo dos anos, a impressão que temos é que população relaxou e se esqueceu que a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causada pelo vírus da Influenza (gripe) pode matar. Com isso, deixou de lado cuidados essenciais, como lavar as mãos frequentemente com água e sabão (principalmente após tossir ou espirrar); cobrir a boca com a parte interna do braço ao tossir ou espirrar e evitar ambientes fechados, com aglomeração de pessoas, além, é claro, da vacina. Com isso, a doença tem feito vítimas.
Em Minas Gerais, os dados mais recentes (até 17/05) apontavam 945 casos notificados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG hospitalizado), mas só 139 (14,7%) já tiveram as amostras processadas. Do total de casos notificados com amostras já processadas, 39 foram confirmados por SRAG por Influenza (28,1 %) e 100 casos (71,9%) para outros vírus respiratórios. Foram notificados 91 óbitos por SRAG, o que corresponde a 9,6% (91/945) dos casos notificados. 11 deles apresentaram associação a vírus respiratórios, o que corresponde 12,1% (11/91).

Sintomas da doença

Conforme destaca o gerente da Vigilância Epidemiológica de Conselheiro Lafaiete, Diogo Dias Silva, clinicamente, a gripe (influenza) inicia-se com febre, em geral acima de 38°C, seguida de dor muscular e de garganta, prostração, cefaleia e tosse seca. A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de 3 dias. Os demais sintomas são muito intensos nos primeiros dias da doença. Com a sua progressão, os sintomas respiratórios tornam-se mais evidentes e mantêm-se em geral por 3 a 4 dias, após o desaparecimento da febre. Os sintomas podem variar de intensidade em crianças, adultos e idosos.

Como prevenir

Segundo informações técnicas, a vacina é uma das principais medidas preventivas para influenza, sendo considerada uma das medidas mais eficazes para evitar casos graves e óbitos por gripe. É segura e eficaz. Não causa gripe, pois sé produzida a partir de vírus inativados, o que significa que contem somente vírus mortos e há comprovação que não causa doença. Processos agudos respiratórios (gripe e resfriado) após a administração da vacina significam processos coincidentes e não estão relacionados com a vacina.
Segundo recomendação da Organização Mun­dial de Saúde (OMS) para a temporada de 2019 no He­misfério Sul, as vacinas influenza trivalentes a serem utilizadas deverão conter, obrigatoriamente, três tipos de cepas de vírus em combinação dentro das seguintes especificações: A/Michigan/45/2015 (H1N1) pdm09; A/Switzerland/8060/2017 (H3N2); B/Colo­ra­do/06/2017 (linhagem B/Victoria/2/87). Em vir­tu­de dessas mudanças, reforça-se a necessidade e a im­portância da vacinação na campanha em 2019.

Serviço

Unidade de Vacinação
Avenida Dom Pedro II- s/nº, São Sebastião.
(31) 3769-2624




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 30/05/2019


Comente esta Notícia