Política


Glaycon Franco defende ensino em tempo integral

Parlamentar apresentou requerimento de audiência pública e se posicionou a favor da manutenção dessa modalidade no estado


O deputado Glaycon Franco participou, na quarta-feira, 10 de abril, de uma audiência pública na Assembleia de Minas. O objetivo foi debater o destino das escolas que oferecem ensino em tempo integral no estado de Minas Gerais. Glaycon tem recebido reivindicações de diversas escolas estaduais da região, que oferecem o ensino em tempo integral, noticiando a intenção do Governo de Minas em reduzir drasticamente o programa e solicitando a manutenção do mesmo.
Diante dessas notícias, o deputado, que sempre defendeu o tempo integral, apresentou requerimento à Comissão de Educação, Ciência e Tec­no­logia da ALMG, visando “... tratar das políticas voltadas para a educação em tempo integral no estado de Minas Gerais, incluindo redução de estabelecimentos que oferecem esta modalidade de ensino.” O requerimento do deputado, protocolado em 22/03/2019, foi apensado a outros e a presidente da Comissão designou a audiência pública.
Segundo apurado durante a audiência, em 2018, dos 145 dias letivos previstos para o ensino integral, o governador repassou apenas verba equivalente a 4 dias, para a merenda escolar. Como o ensino integral exige alimentação diferenciada em relação ao en­sino regular, o programa permaneceu graças à boa vontade de diretores, funcionários, pais e cidadãos, que colaboraram para que as escolas pudessem manter o programa em funcionamento.
O atual governo, alegando impacto da crise econômica, manteve a intenção de reduzir o programa, que proporciona, além de ganhos educacionais, ganhos sociais relevantes, impactando, in­clusive, nas famílias dos alunos. Muitos pais sentem-se satisfeitos com os filhos estudando em tem­po integral, pois podem trabalhar com tranquilidade, sabendo que as crianças e adolescentes estão em segurança no ambiente escolar.
Ao final da audiência, Glaycon se posicionou sobre o assunto. “Acompanhei, no ano passado, a dificuldade da comunidade escolar para não deixar a escola em tempo integral fechar. Muitas vezes, pediram minha colaboração. Reconheço que estamos em grave crise econômica, mas julgo que há outras áreas em que possam ser feitos cortes compensatórios. Reconheço a importância dessas escolas para nossa sociedade. Vou continuar, com todo o meu empenho, pleiteando a manutenção do ensino integral. Aliás, penso que ele deveria ser ampliado, mas, neste momento, sei que não é possível. Vou continuar lutando para que ele não seja reduzido. Temos que nos unir e apelar à sensibilidade do Governador de Minas.”
Ao final da audiência pública, foram aprovados vários requerimentos de informações. Os de­putados aguardam a resposta dos mesmos para outras providências que sejam necessárias.




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 12/04/2019


Comente esta Notícia