Saúde


Comida de verdade pode ajudar a minimizar os sintomas da artrose

Nutricionista fala sobre o que deve ser evitado e o que incluir na dieta para trazer mais qualidade de vida; a doença não tem cura


Conhecida também como artrite degenerativa, a artrose é uma doença reumática, que afeta as articulações, limitando os movimentos. Atinge, principalmente, os joelhos, coluna, quadril, mãos e dedos. Pode se manifestar em pessoas de ambos os sexos e de qualquer idade, mas sua incidência aumenta com o passar dos anos. Entre as causas, estão fatores genéticos, imunidade baixa, obesidade e atividades repetitivas, que acabam causando sobrecarga nas articulações. O principal sintoma é a dor, que surge com a movimentação da articulação afetada. A artrose ainda não tem cura, mas tem tratamento, que inclui adotar uma boa alimentação.
Conforme explica a nutricionista Amanda Oliveira, é importante evitar certos ‘alimentos’, que são, na verdade produtos alimentícios, como: fastfood, comidas congeladas, embutidos, enlatados, caldos e tabletes de tempero, açúcar, xarope de milho/guaraná, bebidas gaseificadas (refrigerante), gordura hidrogenada, sucos de pó e caixinha, leite e derivados. “Recomendamos que se evite quase tudo que venha de prateleira e rótulo. Tudo que for doce e gordo ao mesmo tempo não é alimento de verdade”, alerta.
Mas com essas restrições, o que comer? A resposta da nutricionista é simples e direta: comida de verdade. “Os alimentos de verdade, como legumes, verduras, frutas, grãos integrais, ovo caipira, por exemplo, possuem nutrientes que têm função terapêutica e, ao serem consumidos, por um longo período, auxiliam no tratamento e na melhora do quadro sintomático, inflamatório e imunológico da doença”, orienta. A obesidade é um fator de risco para quem possui artrose, podendo contribuir por lesionar ainda mais as articulações. Nesse caso, conforme reforça,“a alimentação saudável auxilia não somente na modulação do estresseoxidativo da doença, mas também no gerenciamento do peso, tornando-se importante na melhora da superfície articular comprometida”, acrescenta.

Investindo em ‘comida de verdade’

A alimentação natural é a mais indicada: “Comida orgânica (sem agrotóxico), frutas e legumes da época (safra), horta caseira, colheita da roça, ovo de galinha que cisca, leite e queijo da vaquinha feliz (só se alimenta de capim e ração natural): isso sim traz saúde”, reforça. Para diminuir o depósito de substâncias nas articulações e melhorar a disbiose intestinal (alteração na quantidade e na qualidade das bactérias intestinais), a nutricionista indica os sucos detox: “couve, cenoura, gengibre, maçã, limão e água, que têm ação alcalina”, situa.
Também há outros itens que podem ser incluídos nessa lista: “A ingestão de alimentos fonte de ômega 3, como os peixes sardinha e cavalinha, a chia, linhaça triturada e até mesmo a suplementação via oral do ácido graxo em questão é uma boa pedida para a melhora do processo inflamatório. Fontes de vitamina D e cálcio são importantes para evitar a desmineralização óssea comum no estágio avançado da doença e para manutenção da saúde imunológica. Vitaminas do complexo B, Vitamina C e Vitamina E são requisitadas para gerenciamento do estresse oxidativo, melhora do metabolismo da glicose e controle de peso”, pontua.
Para uma alimentação saudável e que ajude a minimizar o desconforto da doença, Amanda Oliveira ainda recomenda “o aumento da ingestão diária de ervas naturais, como alecrim, salsinha, cebolinha, manjericão, orégano, louro, páprica, pimenta do reino (antioxidantes); alho e cebola (anti-inflamatórios); banana (fonte de vitamina B6 e triptofano- diminui dores e ansiedade); biomassa de banana verde, Kefir, kombuchá, batata yakón (prebióticos); laranja lima (melhora o sistema imunológico), castanha do Pará (fonte de selênio- ativa sistema de defesa- Glutationa); mamão (enzima digestiva - papaína) e abacaxi (enzima digestiva- bromelina) - enfim alimentos naturais”, lista.
Além da alimentação, a especialista cita a existência de outros recursos que, aliados à alimentação e ao tratamento prescrito pelo médico, trazem mais qualidade de vida ao paciente: “A artrose não tem cura, mas existem várias medidas a serem tomadas. Dependendo do caso, exercícios físicos podem diminuir ou aumentar a dor e em alguns quadros pode haver progresso da doença com o repouso. Medicação, NUTRIÇÃO (alimentação), fisioterapia e Terapia (Reiki, Yoga, Meditação) são tratamentos que colaboram com a melhora do quadro clínico / sintomático, emocional e a qualidade de vida”, finaliza.

Serviço

Nutrição Clínica e
Esportiva Funcional
Nutricionista Amanda Oliveira
Endereço: Rua Aimorés 83, Carijós
Praça Chiquito Furtado 48,
sala 205 - centro
Telefone: 31 99284-2063
e 3721-1007
Facebook: Nutricionista Amanda Oliveira
Instagran: @nutriamandaoliveira

 




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 12/04/2019


Comente esta Notícia