Política


Carla Sássi celebra os cinco anos de ampliação do projeto Quem ama, castra

Iniciativa pioneira no Brasil já foi responsável pela castração de quase 15 mil cães e gatos em Lafaiete


Idealizado pela veterinária e vereadora Carla Sássi, juntamente com integrantes da Associação Lafaietense de Proteção aos Animais (Alpa), o projeto Quem ama, castra completou 5 anos de atendimento itinerante e dedicação aos animais de Lafaiete. A iniciativa surgiu em 2013, como uma resposta para a reprodução descontrolada e o consequente aumento populacional de cães e gatos. O problema chegou a gerar, inclusive, uma Ação Civil Pública contra o município que, até então, não realizava a castração em animais de rua. No ano seguinte, a chegada de uma unidade móvel tornou possível o atendimento itinerante e, com isso, o projeto conseguiu chegar à zona rural e bairros mais afastados da região central, que apresentavam uma dificuldade ainda maior para buscar atendimento no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).
Atualmente, Conselheiro Lafaiete é a única cidade do Brasil a ter um programa itinerante de castração animal, que atende às localidades rurais. O projeto Quem ama, castra já realizou quase 15 mil esterilizações de cães e gatos e é realizado pelo município, de forma gratuita, em parceria com a ONG Alpa e Ministério Público de Minas Gerais, que direciona recursos oriundos de Termos de Ajustamento de Conduta (TACs). Conta, ainda, com a ajuda da ONG Arpa, que intermedeia os repasses financeiros.
Responsável técnica da Alpa, Carla Sássi destacou que, com a efetiva continuidade do projeto Quem ama, castra, tem sido observada a diminuição gradativa dos gastos do município na saúde pública. Especialmente n que se refere à diminuição do número de acidentes, mordeduras, transmissão de zoonoses e de atendimentos a maus-tratos. "Lafaiete é uma das poucas cidades brasileiras a desenvolver e cumprir um programa gratuito, que tem como foco, não só a melhoria da saúde pública, mas também o atendimento às diretrizes do bem-estar animal. Ainda temos muito a evoluir na questão do controle populacional de cães e gatos, mas estamos muito à frente da maioria das cidades brasileiras e muito melhores do que quando iniciamos o projeto de castração, em 2013”, avalia.
Na avaliação de Carla Sássi, hoje, pode ser observada uma mudança de postura entre pessoas que demonstravam preconceito e não acreditavam na eficácia da castração animal. “Atualmente, após muitas campanhas de conscientização e o sucesso do projeto, a população vem, gradativamente, vencendo a insegurança e observando os benefícios que a esterilização traz aos seus animais. Agradeço muito a todos que acreditaram que esse resultado seria possível. Em especial, à diretoria e voluntários da Alpa, aos funcionários do CCZ, ao Ministério Público, a gestão municipal de saúde e a todos que nos apoiam e ajudam da forma que podem", conclui


O CCZ funciona na rua Pedro Camargos, 240, São Sebastião.




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 25/03/2019


Comente esta Notícia