Comunidade


Como fazer a ceia de Natal sem desperdiçar comida, por Alex Atala



O chef brasileiro Alex Atala revelou, no programa Amigos, Sons e Palavras, do Canal Brasil, em que foi entrevistado pelo cantor e compositor baiano Gilberto Gil, que teme o futuro da alimentação no mundo. "Se a gente projetar os próximos 50 anos, o que temos é catastrófico", disse.

O motivo disso, segundo Atala, está tanto na maneira como a agricultura contemporânea agride o meio-ambiente, de onde os alimentos são extraídos, como no desperdício de comida no Brasil. Segundo a World Resources Institute (WRI), o país descarta 41 mil toneladas de vários tipos de matérias alimentares por ano -- quase metade das hortaliças, frutas, raízes e tubérculos que são colhidas vão para o lixo. Entre os cereais, o desperdício é de 30% de tudo o que é retirado do meio ambiente.

"A cozinha do futuro não é ensinar as pessoas a cozinhar, mas é pedir que elas ajam, comam, compram e sirvam somente o que é de acordo com a ética delas. Se você gosta da carne, dos vegetais, vamos contemplar essa bela diversidade, mas em harmonia e principalmente visando o bem do planeta", afirmou.

"Hoje, o Brasil sofre com uma agricultura de larga escala que, se é importante para a economia, não é sustentável. É preciso ter consciência do orgânico, como já está acontecendo na França, na Alemanha e na Holanda, por exemplo. Não sou contra a produção de larga escala, mas o método que nós estamos praticando agricultura no Brasil não mata animais: esteriliza ecossistemas", completou.

No ano passado, Atala juntou seu carinho pelas comidas de Natal com a militância pelo fim do desperdício em um projeto que pretendia ensinar as pessoas como fazer a ceia sem descartar alimentos no dia seguinte. "Podemos usar a criatividade para reutilizar aquelas sobras do refrigerador, como fazer um refogado com o que sobrar do pernil e frango ou transformar os pães em farofa, mas o ideal é que não haja essas sobras. Isso faz parte da consciência de consumo", contou à época.

Entre as receitas que ele indicou, estão o peixe na couve com farofa de talos, que reutiliza os pescados da ceia em um novo prato, assim como as hortaliças, e o brownie bio, que pega todos os ingredientes secos em uma sobremesa para o feriado do dia 25. Ele ainda lembrou de uma receita tradicionalmente brasileira que tem como pilar o reaproveitamento de comida: a rabanada.

"O fato de um prato tão simples como a rabanada ter entrado para mesa de Natal é que é para mim, um paradoxo muito interessante. Numa época em que as pessoas se esforçam para comprar ingredientes especiais, muitas vezes fazendo economia para comprar aquela cereja importada, ou aquele vinho especial, lá está ela, a rabanada, feita com o pão de ontem (ou anteontem)", escreveu a chef Rita Turner em seu blog.

"Para tentar entender esse fenômeno, talvez seja preciso olhar a rabanada pela ótica cristã. A ideia de reusar o pão velho, evitando o desperdício, é, em si, um ato cristão, já que o pão é considerado um alimento sagrado na Bíblia", completou.

Atala, vale lembrar, é dono do D.O.M, o sexto melhor restaurante do mundo, segundo a revista britânica Restaurant. Além disso, ele possui outros dois estabelecimentos: o Dalva e Dito e o Riviera Bar, além de ser sócio do Bio, cujas receitas são feitas com comida reaproveitada. O conceito de "bio", aliás, é uma criação do chef: a proposta central é utilizar ao máximo os alimentos para evitar o descarte desnecessário.

 

Débora Ramos  




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 24/12/2018


Comente esta Notícia