Polícia


Polícia prende pastor e suspeitos de assassinato de jovem em Congonhas



Já está à disposição da Justiça o pastor Amarildo, acusado de matar Joseph Michel Pinto Paulino, de 27 anos, no dia 4 de dezembro, em Gagé. O homem foi preso durante a Operação Legalidade, desencadeada nesta sexta-feira, dia 22. De acordo com as informações da Polícia Civil, foram efetuadas três prisões, sendo duas delas relacionadas ao latrocínio do Joseph. Dois suspeitos foram presos, um em  Lafaiete e outro em Congonhas.

Relembre o caso

Após ser brutalmente agredido com pá, chicote e pau, o jovem teve que se arrastar por quase 2h para pedir socorro. Joseph acabou não resistindo e morreu no Hospital e Maternidade São José (HMSJ). Segundo a PM, o crime aconteceu na terça-feira, dia 4, em Gagé. Chamados para atender a ocorrência, os militares encontraram a vítima caída no chão.  Após análise, foram detectados um ferimento corto contuso no queixo, escoriações generalizadas pelo corpo, fratura fechada completa no membro superior direito e suspeita de fratura na costela. Ele foi levado ao hospital.

 Na época, o Jornal CORREIO entrou em contato com o pai da vítima, José Orlando Paulino Filho, que estava muito abalado. Sem condições de dar entrevista, pediu para que o sobrinho, que o acompanhou durante o socorro a Joseph, que conversasse com a nossa Reportagem. O primo de Joseph, que preferiu não ser identificado, contou que ele vivia de fazer negócios. "Uns eram honestos. Outros, não. Ele ficou devendo um homem, que armou uma emboscada, junto com três caras. Bateram muito no Joseph e deixaram ele em um lugar isolado, depois do Gagé. É um campo grande e meu primo ficou no meio do mato. Ele ser arrastou por 2h até chegar na fazenda, onde pediu ajuda".

Ainda segundo o primo, o caseiro foi o primeiro a prestar socorro: "O Joseph lembrou o número da mãe dele, a Neide, e o funcionário da fazenda ligou para ela e para a polícia. A mãe dele ligou para o pai, que pediu para eu ir junto. Então, quando chegamos lá na fazenda, vi o Joseph deitado no chão, muito machucado, com braço quebrado, marcas de chicote por todo o corpo e com um ferimento no queixo. Mas ele estava consciente", detalhou. Joseph foi socorrido pelo corpo de Bombeiros de Lafaiete e levado ao Hospital e Maternidade São José: "Lá foi constatada uma hemorragia interna. Ele passou por uma cirurgia que durou 4h, mas teve uma parada cardíaca e morreu às 7h do dia 5", relatou.

Antes de morrer, Joseph informou à polícia o que aconteceu e quem eram as pessoas envolvidas na agressão: "A polícia foi atrás e prendeu o pastor Amarildo, da Igreja Quadrangular, de Congonhas. No carro dele, estava o celular de Joseph e os materiais usados na agressão: pá e chicote. Os outros envolvidos eu não sei se foram presos. A moto de Joseph, uma Honda Bis Preta, também foi roubada e não foi encontrada ainda", informou. Ainda segundo o primo, a família está sentida: "A gente reconhece os erros do Joseph, mas ninguém tem o direito de fazer isso. Se o Joseph estava devendo, era só falar com o pai dele o Dico, que sempre arcava com os prejuízos que meu primo dava. A gente espera que seja feita a justiça. O pastor tem que pagar pelo erro que cometeu, porque tirou a vida de uma pessoa", lamentou.




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 22/12/2018


Comente esta Notícia