Região


Escritor visita escolas municipais para desenvolver livro sobre Congonhas



Contemplada pelo projeto "A Cidade da Gente", Congonhas recebeu, nesta semana, a visita do escritor José Santos, que conversou com alunos da rede municipal de ensino e figuras marcantes da cidade. Os estudantes serão co-autores de um livro infantojuvenil sobre a Cidade dos Profetas, valorizando sua história e seu cotidiano. A obra deve ser lançada em novembro durante a Festa Literária de Congonhas (FLIC). Realizado pela Editora Olhares, o projeto conta com patrocínio da MRS, via Lei Rouanet, e parceria da Secretaria Municipal de Educação.

De 3 a 5 de junho, o escritor se reuniu com coordenadores e professores para debater o desenvolvimento do projeto e esclarecer dúvidas e com estudantes das escolas municipais Augusto Silva, José Cardoso Osório, Dona Caetana Pereira Trindade, Dona Maria de Oliveira Castanheira, Jair Elias e Engenheiro Oscar Weinschenk. Os encontros também contaram com a participação de Roberto e André Candreva, Maurília, Maria da Paz Pinto, Luciomar Sebastião de Jesus, José Félix Junqueira (Zezeca) e integrantes de grupos de congado.

O coordenador da coleção e escritor, José Santos, destacou o interesse e o envolvimento dos alunos com o projeto. Para ele, as escolas estão muito integradas. "Gostei bastante porque todas as escolas estão mobilizadas. Vemos isso pelo grau de conversa entre os alunos, que praticamente não existia. Eles estavam prestando muita atenção e estavam muito interessados. Todos estão fazendo a pesquisa dos temas. Foram recepções muito calorosas. O que eu vi nas escolas foi um respeito pelos mestres dos saberes locais. Chamaram as pessoas da comunidade para falar sobre os temas, já que o livro é sobre o patrimônio de Congonhas, o que não é tão óbvio e comum. Vejo que Congonhas está na ponta nesses aspectos educacionais", completou.

O objetivo do "A Cidade da Gente" é apoiar a perpetuação e a disseminação da história da cidade, ampliando a noção das crianças sobre sua própria história, sua identidade e sobre o pertencimento à cidade e à região onde vivem. Além disso, incentiva a escrita, através de atividades em torno da educação patrimonial, e amplia o acesso ao livro a alunos de escolas da rede pública, estimulando o hábito da leitura. A Educação Patrimonial já é um dos eixos da matriz curricular da rede municipal de ensino de Congonhas.

Processo

O desenvolvimento do livro "A Cidade da Gente" prevê a definição de 10 a 12 temas que serão o roteiro da narrativa a ser construída, e das escolas que irão centralizar as atividades, envolvendo turmas do Ensino Fundamental. Em Congonhas, as turmas do 5º ano do Ensino Fundamental das escolas municipais com atividades complementares de Tempo Integral, vão participar. As instituições são: Amynthas Jacques de Moraes; Augusto Silva; Conceição Lima Guimarães;        Dona Maria de Oliveira Castanheira; Dona Caetana Pereira Trindade;        José Cardoso Osório; Dr. Antonio Moreira de Souza e Silva; Maria Batista de Jesus; Padre Jacinto Pinheiro; Santa Quitéria; José Antonio da Silva; Jair Elias; e Engenheiro Oscar Weinschenck.

O resultado será um livro, que será uma importante referência de conhecimento sobre o patrimônio material, imaterial e ambiental do Município, além de ter tiragem distribuída gratuitamente para as escolas públicas locais.

Fonte: Prefeitura de Congonhas



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 08/07/2018


Comente esta Notícia