Comunidade


Lambanças em concurso do Estado provocam enxurrada de reclamações no MP



Uma confusão sem precedentes marcou a aplicação das provas do concurso da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE), realizada no domingo, 8 de abril, em Lafaiete e demais cidades do estado que sediam secretarias de Educação. Segundo o Ministério Público (MPMG) informou, até a terça-feira, 10 de abril, cerca de 400 reclamações sobre o concurso já tinham sido registradas pela Ouvidoria, colocando em xeque a legalidade do processo, que oferece 16 mil vagas para o cargo de professor de educação básica e 700 vagas para especialista em educação básica. Só em Lafaie­te, 1.051 pessoas se inscreveram para as provas.

 

Em vários pontos do estado, os candidatos enfrentaram atraso no início das provas, que chegaram a faltar em alguns pontos de aplicação. Até cópias dos cadernos de provas teriam sido feitas para evitar que candidatos não ficassem de fora do processo. Um suposto vazamento de fotos do caderno de questões (foto 2) foi denunciado pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE), assim como o uso de celulares durante a prova (foto 1).

 

Em Lafaiete e região, conforme informou a direção estadual do Sindicato, Célia de Lima Carvalho, vários problemas foram registrados. "Houve atrasos. As provas foram marcadas para as 8h e só começaram após as 9h. Candidatos alegam que não foram avisados sobre o tempo que restava para o término das provas  -  e isso seria fundamental, pois eles são proibidos de usar relógios e precisam reservar tempo para passar o gabarito e finalizar a prova. Os candidatos reclamaram que não conseguiram terminar a prova (textos extremamente longos e com pouco tempo para desenvolver as questões) e que havia bibliografia incorreta. Também houve reclamações sobre candidatos que entraram no local das provas após o horário determinado", pontuou.

 

Ainda segundo Célia de Lima Carvalho, diante das diversas manifestações de irregularidades ocorridas no concurso público da SEE, o Sind-UTE irá continuar acompanhando e cobrando a solução para os problemas. "O Sind-UTE aguarda o pronunciamento da SEE/MG sobre as irregularidades que foram detectadas nesse concurso. Pedimos ao governo do estado que preste explicações e investigue as práticas relatadas acima, que os responsáveis sejam responsabilizados pelos atos criminosos e que as pessoas que fizeram inscrição para o concurso não fiquem prejudicadas. O Sindicato reitera que as práticas identificadas sugerem a existência de um movimento organizado contra o concurso e que todos os que se sentirem prejudicados devem procurar o Sindicato e outros órgãos competentes para fazer a denúncia das irregularidades ocorridas no concurso", finaliza. 

 


































Fumarc alega problemas de logística

 

Em nota, a SEE-MG informou que tomou conhecimento de denúncias que circulavam em redes sociais quanto ao uso de celulares em ambiente de provas, além de fotos de supostas provas. A SEE afirma que acionou imediatamente a empresa contratada para realizar o concurso - Fundação Mariana Resende Costa (Fumarc) para apuração das denúncias e aguarda uma posição da empresa. Já a Fumarc informou, também em nota, que o concurso da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais enfrentou um problema de logística, o que causou o prolongamento do horário de início das provas em 60 mi­nutos. O material de apoio aos fiscais, com a lista de presença dos candidatos, que seria destinado a quatro escolas de Belo Horizonte, foi embarcado em veículo da Fumarc com outra rota de distribuição. Com isso, o veículo da Fumarc teve que retornar ao ponto de origem para a destinação correta do material de apoio. 

 

Ainda em nota, a Fumarc alegou que, para garantir aos candidatos as mesmas condições na realização das provas, o início do concurso, em todas as regiões, ocorreu quando as quatro escolas receberam o material de apoio. Para respeitar o intervalo entre as provas da manhã e tarde, considerando que muitos candidatos participariam dos dois concursos, o início das provas, no segundo turno, também foi prolongado. A Fumarc encerra sua justificativa informando que possui 40 anos de experiência na realização de concursos públicos e privados e que está apurando os fatos envolvendo esse concurso. 

 

Serviço

Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE) 

Endereço: avenida Telésforo Cândido de Resende, 389

E-mail: sindutecl@hotmail.com

Telefone: 3763-4421




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 16/04/2018


Comente esta Notícia