Região

CSN Mineração faz esclarecimento aos moradores de Congonhas

Considerando os fatos publicados e discutidos nos últimos meses por diversos públicos acerca das obras na barragem Casa de Pedra, a CSN Mineração enviou um posicionamento oficial, prestando esclarecimentos aos moradores de Congonhas. Confira a nota, creditada à assessoria de Imprensa da CSN, na íntegra.  

"A CSN Mineração sabe da sua dimensão e da relevância de suas atividades para a sociedade. Por isso, a empresa prioriza, em sua essência, os princípios de agir com transparência e ética, além de estar sempre disposta a dialogar com todos os seus públicos. Nos últimos meses, a Companhia se encontrou em um confuso cenário abastecido por informações sem credibilidade, exageradas e tendenciosas. Isto, em razão da ação daqueles que agem de acordo com interesses próprios em busca de gerar temor à população com acusações sem fundamento.

Apesar de todos esses ataques, a empresa, como é seu costume, se colocou à disposição para manter a proximidade e o canal de diálogo aberto, sobretudo, junto às comunidades do município de Congonhas. Desta forma, a CSN Mineração mostra-se continuamente participativa em audiências públicas e reuniões comunitárias, proporcionando esclarecimentos a fim de sanar todas as dúvidas, assim como acolher as demandas ligadas não só ao tema "barragem de rejeitos", mas outros recorrentes que a Companhia faz questão de elucidar.

A partir desse contexto, torna-se necessário relembrar os fatos que contribuíram com a situação atual de perseguição enfrentada pela empresa. Discursos infundados relacionados à obra de recomposição topográfica realizada pela Companhia nas ombreiras do dique de sela da barragem Casa de Pedra, iniciada em junho deste ano, ganharam força após a divulgação de fotografias manipuladas nas redes sociais que afirmavam que trechos do dique estavam erodindo.

A CSN Mineração, a fim de tranquilizar a população e ressaltar a segurança da estrutura, abriu suas portas para moradores dos bairros próximos à barragem, autoridades e representantes de diversos órgãos competentes. No dia 28 de agosto, por exemplo, uma equipe técnica do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) pôde verificar que, como a obra no dique de sela é restrita à área de encosta (terreno natural), não causa nenhum tipo de impacto à estrutura da barragem. Todo o processo foi acompanhado, registrado e exibido em rede nacional por uma das maiores emissoras de TV do Brasil.

Mesmo garantindo a aplicação de todas as normas de segurança e mostrando-se preocupada com a conservação de todos os aspectos sociais, ambientais e econômicos relacionados às obras em andamento, as informações sofreram distorções por parte de diversos públicos, como representantes políticos, comunitários, sindicais, entre outros. Isso contribuiu com a criação de uma situação de perigo inexistente ligada à barragem.

Apesar de já ter se posicionado sobre o tema junto a todos os públicos, a empresa, a convite da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, participou no dia 3 de outubro de uma audiência pública realizada em Congonhas. Na oportunidade, foi possível esclarecer a todos os presentes que os parâmetros de segurança são seguidos rigorosamente e que a documentação exigida pelos órgãos de fiscalização está em dia. A Companhia pôde explicar, ainda, que o plano de emergência está devidamente protocolado e disponível para consulta. 

Além de todas essas fiscalizações, a Companhia esteve presente no dia 9 de outubro em uma reunião realizada com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) para, novamente, garantir as boas condições da barragem Casa de Pedra. Para reforçar ainda mais o seu compromisso com a segurança dos seus empreendimentos, a CSN Mineração assinou, no dia 11 de outubro, um termo de compromisso para realizar todas as recomendações feitas pelo órgão. Ainda assim, a empresa se vê prejudicada por uma série de exageros promovidos por pessoas e instituições interessadas em se projetar nesta situação que exige, no entanto, seriedade e responsabilidade de todos.

No dia 13 de outubro, o Ministério do Trabalho e Emprego, motivado por uma denúncia desqualificada do Sindicato Metabase de Congonhas, enviou fiscais às obras para interditar os trabalhos e as operações na barragem, sem que houvesse qualquer relatório ou documento atestando algum tipo de risco à barragem. A CSN Mineração, de sua parte, possui textos e laudos atestando a segurança da barragem.  Diante disso, a empresa se reuniu com o órgão no dia 16 de outubro e esclareceu todos os pontos, se comprometendo a encaminhar os novos documentos solicitados.

Novamente, é importante ressaltar que a CSN Mineração está disposta a prestar todos os esclarecimentos necessários e reforça a sua opção de ser sempre transparente com os seus públicos e com toda a sociedade. Não poderia a empresa, contudo, calar-se diante de mistificação sobre um tema tão sensível e essencial para a prática da mineração em todo o Estado de Minas Gerais".

 

 

CSN Mineração

 

 

 


Notícia enviada por Frances Santana, no dia 18/10/2017




Comente esta Notícia

Galerias

Turma dos “Ô Quêêê” celebra 20 anos de existência às margens do velho e piscoso rio Guaporé

Enquetes

Qual notícia chamou mais sua atenção?


Enquetes 2


No momento, não temos nenhuma enquete ativa.


Colunistas




EXPEDIENTE

DIRETOR-PRESIDENTE E EDITOR: Luiz Fernando de Andrade GERÊNCIA GERAL: Clésio Samuel Luiz Peixoto SUB-GERENTE: Edmilson Moreira Dutra REDATORA: Juliana Monteiro REDATOR-ADJUNTO: Hugo Pacheco Jr. REPORTAGEM: Frances Santana / Rafaela Melo PAGINAÇÃO GRÁFICA: Daniel Vieira / Raquel Gonçalves PUBLICIDADE: Mara Rúbia de Oliveira Silva / Silvana Ribas REVISÃO E DIGITAÇÃO: Jussara Andrade COORDENADOR DE ESPORTES: Amauri Machado (DRT 08266) BANCO DE DADOS: P. de Souza SECRETÁRIA: Norma Aparecida Vitoreti Ramalho CIRCULAÇÃO: Valdiney Rodrigo Vieira Rodrigues IMPRESSORES GRÁFICOS: Wilson Ricardo de Souza / Willian Ribeiro CONSELHO EDITORIAL: Dr. José Álvaro Castanheira / Luiz Fernando de Andrade / Clésio Peixoto / Juliana Monteiro