Saúde

Pediatra Roger Brant alerta para complicações da catapora

A varicela, popularmente conhecida como catapora, é uma infecção viral aguda, altamente transmissível, causada pelo vírus varicela-zoster. Frequente e muito contagiosa, na maioria dos casos, a catapora é uma doença benigna e autolimitada. Mas complicações podem existir, conforme explica o pediatra Roger Brant Machado. Por isso, é importante estar atento. "A varicela pode ocorrer durante todo o ano, mas existe uma predominância de casos entre agosto e novembro, do fim do inverno até a primavera. Neste período, é muito comum os surtos em escolas e creches. Portanto, é de grande importância que o cartão de vacinação das crianças esteja em dia, pois a vacina (em duas doses), a partir dos 12 meses de vida, é a melhor maneira de prevenir", explica.

 

Crianças com idade entre 2 e 8 anos compõem o grupo mais afetado, mas os adultos não vacinados e que nunca tiveram a doença na infância também podem ser acometidos. O pediatra destaca que, após um episódio de varicela, o paciente desenvolve imunidade, ou seja, não volta a contraí-la. "A catapora é uma doença viral altamente contagiosa, de distribuição universal. A transmissão do vírus ocorre pela secreção respiratória (gotículas de saliva, espirro, tosse) e também pode ocorrer pelo contato direto com o líquido das vesículas. A transmissão ocorre 48h antes do surgimento das vesículas e vai até a formação de crostas. A duração da doença é, em média, de 6 a 8 dias em crianças saudáveis", relata Roger Brant, ressaltando que os principais sintomas são febre, cefaléia leve e sensação de mal-estar, depois ocorre o surgimento de exantema maculopapular.

 

O período de incubação da doença é de mais ou menos 10 a 21 dias, uma média de 14 dias entre o contato e os primeiros sinais da infecção. "Apro­ximadamente entre 24h e 36h após o início dos sintomas, surge a erupção cutânea, exantema maculopapular com predominância na face e tronco, que, em poucas horas, tornam-se vesículas, evoluem para pústulas e, depois, formam crostas. Essa evolução acontece em cerca de 3 a 4 dias", esclarece. O pediatra explica, ainda, que a doença é considerada benigna em pacientes imunocompetentes. Já em imunodeprimidos, a varicela pode apresentar formas graves com disseminação sistêmica.

 

Roger Brant alerta que as complicações existem. Porém, são 10 vezes menores em crianças do que em adultos: "Quando há complicações, pode ocorrer comprometimento dos pulmões, cérebro e pele. As infecções secundárias da pele são as complicações mais comuns. Como a doença cria na pele uma porta de entrada para bactérias podem ocorrer infecções sistêmicas e invasivas. A segunda complicação mais comum é o comprometimento do sistema nervoso central sob a forma de meningite asséptica, encefalite etc. A pneumonite viral é uma complicação muito temida e deve ser destacada".

 

Tratamento

A prevenção por meio da vacina é o mais indicado para todas as idades, com exceções para alguns casos, conforme explica o pediatra Roger Brant Machado: "Os pacientes com doenças crônicas, ou em uso de medicamentos, não devem ser vacinados, pois certamente, esses possuem critérios de contraindicação à vacina. Gestantes, bebês prematuros e imunodeficientes também possuem contraindicação. Nestes casos, é recomendado o uso de imunoglobulina específica para varicela, que deve ser administrada até 96h da exposição". 

 

O pediatra alerta que, em situação de surto na região de moradia ou creche, escola, ou ainda, quando houver caso de catapora dentro de casa, a vacina pode ser utilizada para bloqueio do surto, sendo administrada até 5 dias após o contato com o vírus. "Se pessoas saudáveis contraírem a doença, o tratamento realizado é sintomático, com prescrição de anti-histamínicos para controle do prurido (coceira), sabonete antisséptico para a limpeza da pele e antitérmicos para controle da febre. O tratamento das infecções pulmonares, neurológicas e da pele é específico", relata, considerando que não há muitos registros de catapora na cidade.


Notícia enviada por Frances Santana, no dia 11/10/2017




Comente esta Notícia

Galerias

Turma dos “Ô Quêêê” celebra 20 anos de existência às margens do velho e piscoso rio Guaporé

Enquetes

Qual notícia chamou mais sua atenção?


Enquetes 2


No momento, não temos nenhuma enquete ativa.


Colunistas




EXPEDIENTE

DIRETOR-PRESIDENTE E EDITOR: Luiz Fernando de Andrade GERÊNCIA GERAL: Clésio Samuel Luiz Peixoto SUB-GERENTE: Edmilson Moreira Dutra REDATORA: Juliana Monteiro REDATOR-ADJUNTO: Hugo Pacheco Jr. REPORTAGEM: Frances Santana / Rafaela Melo PAGINAÇÃO GRÁFICA: Daniel Vieira / Raquel Gonçalves PUBLICIDADE: Mara Rúbia de Oliveira Silva / Silvana Ribas REVISÃO E DIGITAÇÃO: Jussara Andrade COORDENADOR DE ESPORTES: Amauri Machado (DRT 08266) BANCO DE DADOS: P. de Souza SECRETÁRIA: Norma Aparecida Vitoreti Ramalho CIRCULAÇÃO: Valdiney Rodrigo Vieira Rodrigues IMPRESSORES GRÁFICOS: Wilson Ricardo de Souza / Willian Ribeiro CONSELHO EDITORIAL: Dr. José Álvaro Castanheira / Luiz Fernando de Andrade / Clésio Peixoto / Juliana Monteiro