Cultura


Família Meireles luta para manter viva a tradição secular das Violas de Queluz



A casa de número 135, situada na rua Monsenhor Barreto, bairro São João (zona sul), guarda valorosos tesouros. Ali ainda nascem as famosas e históricas Violas de Queluz. Nossa equipe visitou o espaço e conheceu de perto o trabalho de preservação do símbolo maior de Conselheiro Lafaiete, conhecida como a cidade das violas.

O instrumento tem grande importância histórica, tanto que o dia 29 de março foi instituído como uma data especial para a cidade. É nessa ocasião que se comemora o Dia da Viola de Queluz. Tudo começou, quando no início do século 19 ? época da colônia portuguesa, a família Meireles trouxe ao Brasil um tipo de viola da região de Porto, em Portugal. Com um formato característico e detalhes ricos, o novo instrumento ganhou o gosto popular da pequena cidade que se formava, ainda com o nome de Queluz, em homenagem ao reino lusitano.

Leia a matéria completa na edição impressa, que estará nas bancas a partir deste sábado, dia 22 de julho.




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Rafaela Melo, no dia 21/07/2017


Comente esta Notícia