Saúde

Pneumologista alerta para os riscos da gripe e suas complicações

Basta que as temperaturas caiam para que uma série de 'ites' atormentem a vida e a saúde dos alérgicos. Apesar de serem registradas durante todo o ano, as doenças que acometem as vias aéreas superiores, como resfriado, gripe, rinite, sinusite, amigdalite, otite e faringite e as que afetam as vias aéreas inferiores e o pulmão, como asma e bronquite e a pneumonia se tornam ainda mais frequentes nesta estação. Isso porque, conforme explica a clínica médica e pneumologista Valéria Cristina Carvalho Ferreira, um conjunto de fatores, como o ar frio e a umidade baixa, maior aglomeração de pessoas em ambientes fechados e maior concentração de vírus e bactérias no ar formam um quadro ideal para a disseminação e agravamento dessas doenças, causadas, em sua maioria, por fatores infecciosos por vírus e bactérias, além de quadros alérgicos.

Como todos estamos suscetíveis a essas doenças, o melhor caminho é a prevenção, conforme explica a pneumologista: "De modo geral, é importante manter os ambientes arejados, lavar as mãos com frequência e usar o álcool gel e evitar locais fechados e com aglomeração de pessoas. Algumas dessas doenças são prevenidas com vacinas específicas, como a gripe (vacina para Influenza anual) e a pneumonia (para grupos específicos e com indicação médica)", lista.  Valéria explica, ainda, que o clima frio e seco é um fator de irritação para as vias aéreas, principalmente, em pacientes alérgicos. "Com esse frio, algumas pessoas mantêm a casa completamente fechada. E como locais mais fechados concentram mais poeira doméstica e fungos, isso pode desencadear a exacerbação de doenças alérgicas", alerta.

E sabe aquele velho conselho de avó, para evitar correntes de ar e alimentos gelados nesta época do ano? Pois é. Ele pode sim fazer sentido. Mesmo que não diretamente. "As mudanças bruscas de temperatura e os líquidos gelados podem reduzir a imunidade geral e local, facilitando a adesão de vírus e bactérias na mucosa do trato respiratório", detalha. Os cuidados devem ser ainda maiores se o paciente for criança, idoso ou já possui algum comprometimento da saúde: "Cardiopatas, portadores de DPOC, diabéticos e renais crônicos exigem mais atenção. Afinal, essas doenças, quando não diagnosticadas e tratadas precocemente, ou quando afetam pacientes de risco, podem apresentar consequências graves", pontua a pneumologista.

Quando procurar         um especialista

Se você é um dos muitos que afirma que 'gripe é doença de (ou para) ricos', talvez seja a hora de rever seus conceitos e analisar com bastante atenção se, diante de alguns sintomas, já não é a hora de procurar um bom especialista. Conforme situa a pneumologista Valéria Cristina Carvalho Ferreira, a gripe reduz a imunidade do organismo e pode anteceder à pneumonia ? o que reforça a importância de se vacinar contra a Influenza. "Os sintomas da gripe e da pneumonia podem ser muito parecidos e é difícil a diferenciação só com sintomas. Deve-se procurar o médico para que, com o exame clínico e, se necessário, um RX do  tórax, seja feito o diagnóstico correto", explica.

As doenças virais agudas são autolimitadas, com duração entre três e sete dias. Geralmente, o estado geral é preservado e a febre cede facilmente com antitérmicos. Os quadros arrastados, com piora progressiva, febre persistente, devem alertar para a procura do atendimento médico. Outro cuidado importante é não se automedicar: "A automedicação pode mascarar quadros mais graves, como pneumonias. Além do mais, algumas medicações antigripais contêm substâncias contraindicadas em pacientes idosos, portanto, principalmente nos grupos mais susceptíveis a complicações, deve-se evitar usar medicações sem a orientação médica", alerta.

Fique atento. Algumas medidas são importantes nesta época tanto para proteção quanto para evitar a disseminação de doenças respiratórias. Entre elas, estão manter uma boa hidratação e uma dieta saudável; arejar os ambientes; não fumar; evitar levar as mãos aos olhos, nariz e boca; lavar as mãos com frequência; proteger o rosto com lenços descartáveis ou outro método de barreira ao espirrar ou tossir. "Em caso de dúvidas, sempre procure seu médico", finaliza.

Serviço

Valéria Cristina Carvalho Ferreira

Clínica médica e pneumologia do corpo

clínico do Hospital e Maternidade São José

Consultório: avenida Telésforo Cândido

de Rezende, 550, Sl 904 9º. andar

Mais informações: (31) 3721- 1601   98511-2332


Notícia enviada por Rafaela Melo, no dia 12/07/2017




Comente esta Notícia

Galerias

Turma dos “Ô Quêêê” celebra 20 anos de existência às margens do velho e piscoso rio Guaporé

Enquetes

Qual matéria chamou mais atenção?


Enquetes 2


No momento, não temos nenhuma enquete ativa.


Colunistas




EXPEDIENTE

DIRETOR-PRESIDENTE E EDITOR: Luiz Fernando de Andrade GERÊNCIA GERAL: Clésio Samuel Luiz Peixoto SUB-GERENTE: Edmilson Moreira Dutra REDATORA: Juliana Monteiro REDATOR-ADJUNTO: Hugo Pacheco Jr. REPORTAGEM: Frances Santana / Rafaela Melo PAGINAÇÃO GRÁFICA: Daniel Vieira / Raquel Gonçalves PUBLICIDADE: Mara Rúbia de Oliveira Silva / Silvana Ribas REVISÃO E DIGITAÇÃO: Jussara Andrade COORDENADOR DE ESPORTES: Amauri Machado (DRT 08266) BANCO DE DADOS: P. de Souza SECRETÁRIA: Norma Aparecida Vitoreti Ramalho CIRCULAÇÃO: Valdiney Rodrigo Vieira Rodrigues IMPRESSORES GRÁFICOS: Wilson Ricardo de Souza / Willian Ribeiro CONSELHO EDITORIAL: Dr. José Álvaro Castanheira / Luiz Fernando de Andrade / Clésio Peixoto / Juliana Monteiro