Polícia


Menor foge de casa e relata rotina de agressões



Uma ocorrência surpreendeu policiais militares nesta semana. Na segunda feira, dia 8, eles foram acionados por um homem conhecido como Eli. Ele se dizia representante legal da menor A. Y. F. S. de 13 anos. O solicitante relatou que no dia 6, por volta das 13h, a jovem teria saído de casa e, até aquela data, não havia retornado.

Eli disse suspeitar que a menina estivesse na casa de um vizinho, que oferecia dinheiro para assediar a menor. Para ele, a jovem poderia estar sendo mantida sequestrada na casa desse vizinho. Os policiais foram até o imóvel indicado, mas não encontraram a garota.

Com o consentimento de Eli, policiais vistoriaram a sua casa em busca de alguma pista que levasse ao paradeiro da adolescente. Nos cômodos, encontraram um ambiente hostil e sujo, típico de um cárcere. Havia roupas intimas jogadas ao solo junto a fezes de animais. Também foi encontrada uma arma no local.

As condições do imóvel levaram os militares a entrarem em contato com o Conselho Tutelar. Eles tiveram a informação de que a menina dada como desaparecida estava sob os cuidados de uma conselheira.

A garota havia dito que fugiu de casa no sábado dia 6 e relatou que ela e os dois irmãos eram agredidos constantemente. Os outros menores foram encontrados na residência da mãe, de nome Irene. Um deles apresentava um hematoma no rosto. No imóvel da mulher, que trabalha em uma boate às margens da BR-040, foi encontrada uma bucha de maconha.  Eli e Irene receberam voz de prisão em flagrante e foram conduzidos para a delegacia.     


Foto: Divulgação/Fato Real 





Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Hugo Pacheco Jr, no dia 10/05/2017


Comente esta Notícia