Comunidade


Bairro JK: projeto faz cidadania e solidariedade ecoarem pelas ruas



Mudar os rumos de uma comunidade com as próprias mãos. Esse é o trabalho que tem sido feito pelo projeto Rompendo em Fé. Criado há cerca de 3 anos na comunidade do JK (zona norte), o projeto nasceu dentro da igreja evangélica Assembleia de Deus Xerém. A princípio, era apenas um grupo de mulheres que se uniram para formar um coral. Mas, aos poucos, o espaço da igreja se tornou pequeno para os sonhos que cresciam, e como música, o grupo começou a ecoar pelos quatro cantos do bairro. Hoje, o Rompendo em Fé já provoca mudanças na autoestima dos moradores, unindo as famílias e apoiando na alimentação e orientação.

Quem vê a horta comunitária crescer a cada dia e se tornar ainda mais viçosa, sabe que a iniciativa foi retomada em boa hora: "Na verdade, a horta já existia, mas ficou desativada por falta de compromisso de algumas pessoas. Agora, com essa crise e desemprego, as pessoas estão retornando. Reativamos a horta e estamos plantando e cuidando. Qualquer pessoa do bairro pode plantar, colher e doar", explica a açougueira Márcia Helena as Silva, de 41 anos, que atua no projeto.

O mesmo pode ser dito da sopa, que temperada com muito carinho e com sabor de solidariedade tem aplacado a fome de quem precisa de alimento e atenção. "Distribuímos para os moradores de rua do bairro na segunda e quinta-feira. Mas todos aqueles que quiserem e precisarem podem receber a sopa. Ela é feita a partir de doações de casas de carnes, varejões e supermercados. Faço um caldeirão para 100 pessoas. Elas tomam e ainda levam para a casa. Também estamos fazendo a reforma no galpão do centro comunitário, com ajuda de nossos jovens e patrocínio do Dinho, do frigorífico", assegura Márcia Helena.

Mas nem toda ajuda tem cunho material. Entre os bens partilhados na comunidade, está o apoio às famílias e o incentivo à união que têm fortalecido vínculos e tirado muita gente do caminho errado. Uma das iniciativas é a "Torcida das Mães", que apoia crianças e adolescentes que jogam no Meridional. "A gente acompanha eles nos jogos de futebol. Assim, estamos aproximando nossos jovens de coisas boas e afastando eles da violência", analisa.

Segundo Márcia Helena, o trabalho com as mulheres continua firme, mas hoje os objetivos são ainda maiores: "O encontro entre as mulheres é realizado todo primeiro sábado do mês, mas agora há mais pessoas participando das ações. Temos palestras com psicólogas e terapeutas. Cada mês vem um palestrante diferente. E isso tem sido muito positivo, porque ajuda a levantar a autoestima das mulheres. O JK é um bairro bom; de pessoas boas. Por algum motivo, isso se perdeu. Mas Deus entrou no meio para nos ajudar. A ideia é resgatar a origem do bairro e trazer essas almas para Deus", assegura.

Vivos novamente

Daysiane Marília da Silva, 31 anos, trabalha como gari varredeira. Há três anos participando das atividades do grupo, ela afirma que a ajuda oferecida pelo Rompendo em Fé tem feito diferença na vida das pessoas: "Morávamos no mesmo bairro, mas não tínhamos aquela convivência. Hoje a comunidade está mais unida e essa união tem modificado a vida de quem vive no JK. Cada dia é um novo aprendizado: uma ajuda a outra e a gente aprende a se conhecer mais", garante.

Regiane Paula de Miranda, 30 anos, gari, também valoriza a iniciativa: "Para nós, é um trabalho de coragem e de muita valia. Esse grupo só trouxe melhoria e está mudando muita coisa", garante. Moradora do Arcádia, a adolescente Sarah Emanuelle Cordeiro, 15 anos, acredita que a iniciativa tem fortalecido a confiança dos participantes: "Faz bem se sentir parte disso. É gratificante. Às vezes, perdemos nossa autoestima, mas quando chegamos aqui, tem sempre uma palestra que nos ajuda a reencontrá-la. Nos sentimos vivos novamente. As pessoas estão se envolvendo mais", finaliza.

Como ajudar

Quem quiser participar do projeto ou contribuir de alguma maneira para a continuidade do Rompendo em Fé pode procurar a Márcia Helena, na rua Vicente de Paula, 89, bairro JK, ou o pastor Luiz Carlos, na igreja Assembleia de Deus Xerém, na rua Amintas Junqueira. Mais informações pelo 8871-3794.

 




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Rafaela Melo, no dia 22/06/2016


Comente esta Notícia