Colunas


Ansiedade: como enfrentá-la?



Praticamente todas as pessoas já experimentaram algum nível de ansiedade em algum momento de suas vidas, seja pela aproximação do dia de uma grande viagem, pela entrega de um projeto no trabalho, pela formatura, pela realização de uma prova, pela véspera de uma reunião importante. Quando nos preocupamos com a possibilidade de não sermos capazes de superar determinado obstáculo, é normal que os níveis de ansiedade subam. No entanto, esse estado ansioso passa e voltamos à normalidade.

Algumas pessoas, porém, não se sentem ansiosas apenas esporadicamente. Quando nos referimos à ansiedade, falamos de pessoas que vivem muito o futuro e/ou de passado e esquecem de viver o presente – aqui e agora!

Infelizmente, encontro em muitos materiais a seguinte frase: “Como controlar a ansiedade?”. Hoje, entendo que a ansiedade não deve ser controlada e sim “sentida” e “entendida”. Ela é a manifestação explicita de que alguma coisa na nossa vida não está bem. Quanto mais você tentar controlá-la, possivelmente ela ficará mais forte. Controlar é abafar algo que quer (e deve) sair. Sei que essa frase vai gerar impacto, mas é a grande realidade. Ansiedade não se controla, se sente. A ansiedade é uma “manifestação” do nosso corpo, todos nós a possuímos. Se faz necessário entender o motivo pelo qual ela se faz presente. Ao invés de tentar controlar os sintomas, busque entender o motivo.

 

Os sintomas mais comuns são batimentos cardíacos acelerados, respiração curta e com sensação de que o ar não é suficiente, suor nas mãos, tremores, tensão muscular, problemas gástricos ou intestinas, insônia, fadiga e sensação de tontura. Já os sintomas psíquicos são: medo que algo de ruim aconteça, preocupação excessiva, irritação, mal humor, pensamento acelerado e desânimo.

Pensar é bom, alimenta a alma e nos prepara para a ação. Pensar em excesso é uma bomba tóxica para a mente, o corpo e a vida. Busque elevar seu autoconhecimento, reconhecer o que não está bem e enfrentar as situações. Tudo o que você acumula gera “saldo negativo” no seu corpo. Seu corpo é seu templo! Há coisas que você resolverá e outras que serão amenizadas.

A Ansiedade estimula ação, porém em excesso, causa exatamente o contrário. Percebo que o nível das pessoas referente à tolerância dos sintomas ansiosos estão cada vez menores, pois o medo e desconforto é assustador. Também, encontro muitos pacientes frustrados por tentarem e não conseguirem controlar a ansiedade. Você também tem essa sensação?

Agora, se os sintomas estão impedindo você de realizar tais atividades é hora de buscar ajuda profissional. Pois, a ansiedade pode aparecer sob diversas formas, tais como: Transtorno de Ansiedade Generalizada, Fobia específica, Fobia Social, Estresse Pós Traumático, Transtorno Obsessivo Compulsivo, Síndrome do Pânico, Transtorno Dismófico Corporal, Vigorexia dentre outros.

Lembre-se: Muitas das crises de ansiedade vem do que a gente vai guardando dentro da gente, do que tá embolado, do que tá confuso, do que não foi descontruído dentro da nossa mente e do nosso coração, Por isso é importante botar pra fora, dialogar, fazer terapia e não guardar para si toda a bagagem.

Fabiana Oliveira 
Psicóloga Clínica 
Contato: 986453396  
E-mail: fabianaoliveirapsicologa@gmail.com

 

 

 

 


Escrito por Fabiana Oliveira , no dia 06/08/2019