Pesca

Por que respeitar o período da piracema?

Existem diversas opiniões quanto ao período da piracema. Alguns pescadores defendem a ideia de que o período deveria ser modificado, passando o início para o mês de setembro, em vez de novembro, baseando-se no fato de que, naquele mês, já existirem peixes ovados. Não deixa de ser uma verdade, mas os peixes dependem de outros fatores para que o ciclo se complete, principalmente de muita água nos rios, coisa difícil de acontecer no mês de setembro. Além de que, os pescadores teriam seu pe­río­do de pesca drasticamente reduzido, já que durante os meses de junho, julho e agosto, a pescaria é muito prejudicada devido ao frio e ventos.

Historicamente, setembro e outubro sempre foram considerados como muito bons para pesca. Isso se deve,  principalmente, ao aumento da temperatura da água dos rios. Neste ano, as coisas começaram bem no que diz respeito a quantidade de chuvas. Tem chovido acima da média na maioria das regiões de Minas e as notícias, quanto ao nível dos rios e represas são as melhores possíveis. Para se ter uma ideia, o nível da represa de Três Marias chegou ao patamar crítico de 6 % no dia 14 de novembro, obrigando o fechamento das comportas, reduzindo a vazão de saída em ¾. Por sorte, começou a chover muito e o nível está se recuperando rapidamente, já atingindo a marca próximo a 10% de sua capacidade.

Vale a pena ressaltar que, no primeiro dia deste ano, o nível estava em 25%, muito baixo para a época, fruto da longa estiagem que passamos durante os últimos 5 anos. As notícias que recebemos do rio Paracatu são as melhores possíveis, tendo o nível já subido mais de 2 metros. Desta maneira, muitos cardumes foram vistos na região, principalmente de piranhas, dourados e piaus. O lado negativo fica por conta dos ribeirinhos, que nesta época, aproveitando-se da quantidade de peixes, jogam suas redes e fazem a matança.

Têm notícias boas também: com o rio cheio, a polícia conseguiu descer desde Brasilândia até Porto Curralinho, onde está localizado o rancho Cinco Amigos. Teve muito material apreendido (principalmente rede) e diversas multas, justamente para aqueles que recebem para não pescar. Percebo que a maioria dos pescadores amadores têm se conscientizado da necessidade de, se não favorecer, pelo menos não atrapalhar a tentativa de recuperação da natureza.

A parte negativa, como sempre, fica por conta do Instituto Estadual de Florestas (IEF). Para se ter uma ideia, a última portaria publicada foi em 2011, e, portanto, é a que vale até hoje. Será que nenhuma das situações diferentes que aconteceram neste período, principalmente a terrível seca dos últimos anos, não seriam motivo para adequar a portaria aos fatores mais recentes? De qualquer maneira, parece que teremos um próximo ano muito promissor. Vamos aguardar e respeitar a natureza.


Ronaldo de Oliveira

Pescador e empresário

Contato: reidorioronaldo@gmail.com


Coluna enviada no dia 27/12/2017




Comente esta coluna

Galerias

Noite de homenagens em Lafaiete promovida pela agência de pesquisa RJSUL Comunicação (antiga CNPP)

Enquetes

Qual notícia chamou mais sua atenção?


Enquetes 2


No momento, não temos nenhuma enquete ativa.


Colunistas




EXPEDIENTE

DIRETOR-PRESIDENTE E EDITOR: Luiz Fernando de Andrade GERÊNCIA GERAL: Clésio Samuel Luiz Peixoto SUB-GERENTE: Edmilson Moreira Dutra REDATORA: Juliana Monteiro REDATOR-ADJUNTO: Hugo Pacheco Jr. REPORTAGEM: Frances Santana / Rafaela Melo PAGINAÇÃO GRÁFICA: Daniel Vieira / Raquel Gonçalves PUBLICIDADE: Mara Rúbia de Oliveira Silva / Silvana Ribas REVISÃO E DIGITAÇÃO: Jussara Andrade COORDENADOR DE ESPORTES: Amauri Machado (DRT 08266) BANCO DE DADOS: P. de Souza SECRETÁRIA: Norma Aparecida Vitoreti Ramalho CIRCULAÇÃO: Valdiney Rodrigo Vieira Rodrigues IMPRESSORES GRÁFICOS: Wilson Ricardo de Souza / Willian Ribeiro CONSELHO EDITORIAL: Dr. José Álvaro Castanheira / Luiz Fernando de Andrade / Clésio Peixoto / Juliana Monteiro