Pesca


Pescar e soltar, seria a solução?



O polmico assunto, muito bem abordado na ltima coluna pelo nosso colega pescador, doutor Marco Aurlio Rossini, requer, na minha opinio, um estudo mais profundo, justamente por existirem diversas hipteses que no devem deixar de serem consideradas, justamente pela divergncia de opinies. Pesco h quase 60 anos, desde os tempos da velha e boa vara de bambu e das linhadas de mo. Molinetes j existiam, mas no faziam parte da tralha dos grupos que conheci, muito provavelmente devido ao baixo poder aquisitivo da poca.

Pescvamos quase toda semana em Pedra do Sino, no rio Caranda, naquela poca simplesmente chamado de ?Palmeiras?. Paraso dos lambaris, todo mundo pegava, chegando o pescador bom de anzol a fisgar algo em torno de 500 lambaris num nico dia. No histria de pescador, cheguei a presenciar algumas vezes com meu saudoso pai e qualquer um da velha guarda pode confirmar o fato. Bem, passaram-se os tempos, hoje quem se aventura a pescar l se d por satisfeito se conseguir fisgar umas duas dzias.

Diversos fatores levaram situao, mas aqui, por ter vivenciado o problema ao longo do tempo, posso dizer com certeza que a causa maior foi a agricultura no local. Com a chegada dos japoneses, grandes lavouras foram plantadas nos morros, principalmente de tomate. Com as chuvas, a terra revirada foi parar no leito do rio, juntamente com os agrotxicos utilizados, e que no eram poucos. O resultado: os peixes foram sumindo at quase a extino total. Naquela poca no havia cota nem tamanho. Todo peixe capturado era morto, mesmo por que, tambm pelas dificuldades, muitas vezes era o peixe a ?carne? do almoo.

Os tempos mudaram, e a situao atual realmente necessita de alguma providncia urgente. A respeito de soltar peixe tenho uma histria interessante: aconteceu comigo numa pescaria no rio Paracatu, prximo a foz do rio Preto, na regio de Brasilndia. Naquela ocasio consegui fisgar um cachara, peixe que no nativo da bacia do So Francisco. A bem da verdade, no dava medida. Chamei meus companheiros para testemunhar o fato, tirei fotos, e quando disse que iria soltar o peixe foi grande a surpresa dos companheiros, que queriam de todo jeito que o peixe fosse servido como tira-gosto. Prevaleceu minha vontade, o cachara foi solto.

Na minha opinio, no o pescador amador o principal vilo. Eu nunca vi ribeirinho soltar qualquer tipo de peixe, seja ele de que espcie e tamanho for. Por este motivo, acho que o problema deveria ser atacado na sua origem, ou seja, na pesca dita profissional. Em quase todos locais onde ainda existem peixes a pesca profissional foi proibida.

O profissional mora na beira do rio, sua rede permanece ?pescando?, 24 horas por dia. Durante a piracema recebe do governo para no pescar, mas justamente nesta poca que ele pega mais peixe, devido a concentrao dos cardumes. Da minha dvida: seria justo privar o pescador amador de trazer o peixe quando conseguir pegar? Muitos, dentre eles me incluo, alm de gostarem de pescar, gostam tambm de apreciar um bom peixe fresco, com a famlia e com os amigos.

Conheo vrios pescadores que, por motivos financeiros e profissionais, s fazem uma boa pescaria por ano. Seria justo dizer a ele para soltar os peixes que conseguir pegar, justamente ele que est sempre sendo assediado pelo profissional tentando vender peixes capturados por rede, espinhis, mergulho etc. J participei de grandes pescarias com a turma dos ? Qu? nos rios Guapor, Teles Pires, Araguaia e Paraguai, dentre outros.  E, bom se diga, l tambm mata-se peixe, servido como tira-gosto todo dia, s no pode trazer.

Minha opinio que os pescadores tm que se unirem, e atravs de uma associao pressionarem os rgos pblicos. Infelizmente, tem que envolver polticos, mas eles vivem de votos, e para se ter uma ideia, as associaes de pescadores de Lafaiete e Congonhas, juntas, contam com mais de 600 votos, nmero considervel, sem contar com os pescadores no-associados, que poderiam ser recrutados em algum tipo de ao, tipo abaixo-assinado. O assunto polmico, mas medida que comea a ser debatido, certamente uma soluo de consenso poder ser encontrada.

Boas notcias para nossa regio: segundo fiquei sabendo que j est sendo feito um caminho alternativo para os peixes na Hidreltrica de Jeceaba (escada). Se confirmado, ser realmente uma grande conquista para nossa regio, um sonho dizer que poderemos num futuro prximo fazer boas pescarias prximo a Queluzito. Talvez j pensando nisto, o pescador Joozinho (So Dimas) diz que j tem acertado com a Cemig um peixamento na regio. Assim que confirmar a data vamos divulgar e pedir a presena do maior nmero possvel de pescadores, visando a fortalecer o importante evento.


Ronaldo de Oliveira

Empresrio e pescador inveterado



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Pesca, no dia 13/04/2017


Comente esta Coluna