Pesca

Os sentidos no nobre companheiro: o peixe

1 ? Visão: pescador que se preza precisa usar todos os recursos disponíveis para que o peixe tenha uma visão da isca como algo tentador. Discute-se muito se o peixe é capaz de distinguir cores, no entanto, a cada dia acrescentamos mais anilina nas iscas naturais e o mercado das artificiais possui prateleiras cada vez mais coloridas. Um grande número de pesquisadores afirma que os peixes distinguem cores e detectam variações imperceptíveis ao olho hu­mano. Por outro lado, há quem afirme que o animal enxerga somente o preto, o branco e suas variações.

2 ? Olfato: embora não tenham nariz, os peixes possuem fossetas nasais dotadas de células ligadas às fibras do nervo olfativo, extremamente desenvolvidas. Este apontamento é de grande importância no transcorrer de uma pescaria, pois poderemos, de forma inconsciente, apresentar ao peixe odores que poderão repeli-los tais co­mo: fumo, combustível, lubrificantes, desodorantes, vestígios de sabão/sabonetes e pas­me, até mesmo aquelas gotas de urina que sobraram na mão.

No entanto, o mais importante dos odores é gerado pelo próprio peixe. Algumas espécies quando submetidas a um alto nível de estressa, exalam uma substância chamada ?schrecksoffen?. Ela serve como alarme aos outros peixes, dizendo que existe perigo pre­sente. Portanto, quando nos encontramos em um pesqueiro muito produtivo e após uma boa briga o peixe escapa, o local provavelmente ficará improdutivo por cer­to tempo, e suas mãos também.

É aconselhável, antes de pegar o peixe, molhar as mãos ou pegá-lo com um pano úmido e, após soltá-lo, lavar bem as mãos com água da própria represa/lago/rio. Os movimentos de fuga, somados com o estresse do peixe, podem criar um ambiente impróprio para a pesca durante algum tempo.

3 ? Audição: embora o peixe não possua orelhas, um ouvido interno possibilita que ele ouça sons que variam de 30 a 3.000 vibrações por segundo (o homem ouve até 30.000). No entanto, a velocidade do som no ar se propaga a 340 metros por segundo e na água 1.400 metros por segundo. Embora o peixe ouça menos, ele capta as informações de forma muito mais rápida. Por isso é importante o "silêncio" na pescaria.

4 ? Paladar: os peixes têm o paladar bastante aguçado, devido ao grande número de tubérculos que ocupam sua boca e suas na­dadeiras. Como o meio aquático tem a capacidade de transportar e espalhar as partículas responsáveis pela sensação de sabor, elas chegam até os peixes, fazendo com que o animal se sinta atraído ou repelido pelo pa­ladar que está sentindo.

Boas pescarias!



José Silvestre Vieira

Aposentado, fotógrafo de aves e pescador


Coluna enviada no dia 22/12/2016




Comente esta coluna

Galerias

Noite de homenagens em Conselheiro Lafaiete!

Enquetes

Qual notícia chamou mais sua atenção?


Enquetes 2


No momento, não temos nenhuma enquete ativa.


Colunistas




EXPEDIENTE

DIRETOR-PRESIDENTE E EDITOR: Luiz Fernando de Andrade GERÊNCIA GERAL: Clésio Samuel Luiz Peixoto SUB-GERENTE: Edmilson Moreira Dutra REDATORA: Juliana Monteiro REDATOR-ADJUNTO: Hugo Pacheco Jr. REPORTAGEM: Frances Santana / Rafaela Melo PAGINAÇÃO GRÁFICA: Daniel Vieira / Raquel Gonçalves PUBLICIDADE: Mara Rúbia de Oliveira Silva / Silvana Ribas REVISÃO E DIGITAÇÃO: Jussara Andrade COORDENADOR DE ESPORTES: Amauri Machado (DRT 08266) BANCO DE DADOS: P. de Souza SECRETÁRIA: Norma Aparecida Vitoreti Ramalho CIRCULAÇÃO: Valdiney Rodrigo Vieira Rodrigues IMPRESSORES GRÁFICOS: Wilson Ricardo de Souza / Willian Ribeiro CONSELHO EDITORIAL: Dr. José Álvaro Castanheira / Luiz Fernando de Andrade / Clésio Peixoto / Juliana Monteiro