Pesca

Como obter sucesso em sua pescaria ? parte I

Todo pescador tem como objetivo conseguir realizar uma pescaria perfeita, em um local agradável, com ótimos peixes, boas brigas, parceiros de pesca agradáveis e clima favorável. Para isso acontecer, o próprio pescador deve tomar as devidas precauções para não se arrepender de nada e não cometer erros desastrosos. Como todos nós sabemos, em muitos locais no Brasil já está cada vez mais difícil encontrar e pegar peixes. Cada vez mais os pescadores estão se atualizando, por isso é preciso buscar sempre a qualidade.

Sinais importantes para saber onde é melhor pescar

1) - Aves aquáticas

É este o melhor sinal de todos, pois as aves se alimentam de pequenos peixes e, consequentemente onde se encontra um o outro está ao lado. Em um local onde existem diversas aves, com certeza haverá alimentação em abundância de peixinhos. Como sabemos, peixes predadores se alimentam também desses pequenos peixes. Se tiver que escolher um bom local para pescar, dê preferência para aqueles em que haja bandos de aves aquáticas juntas.

2) - Ilhas ou pedras

Nesses locais, o melhor sinal será procurar as rochas que mais tenham organismos vivos, tais como mariscos, ostras, cracas, etc. No caso de uma ilha, tais rochas sempre se encontram do lado de fora, ou seja, onde o mar é aberto. Esse sinal também pode ser utilizado nos rios ou baías de litoral. Em água doce, as pedras são refúgios de pequenos peixes, e é lá que o peixe maior lhes dará caça.

3) - Troncos ou árvores submersas

Outro importante sinal que deve ser observado, tanto em rios do litoral como em rios de água doce ou repre­sas. Mui­tas são as espécies de peixes predadores que procuram esses locais para se alimentar, pois em volta de paus e árvores parcial ou totalmente submersas, se avolumam organismos vivos, que são as iscas de peixes maiores, como por exemplo: o robalo, o black-bass, os tucunarés, entre outros.

4) - Margens com capim

É um ótimo sinal para represas e rios de água doce, pois será nesses locais que os pequenos peixes se refugiarão para escapar dos ataques dos predadores, além de haver também uma infinidade de outras espécies de peixes que têm no capim sua base de alimentação. É também o capim o principal res­pon­sável pela quantidade de insetos do local, que nele ficam e constituem a alimentação de alevinos e pequenos peixes.

5 - Árvores Frutíferas

Mais um importante sinal da natureza, e estas tanto podem ser selvagens como caseiras. 

Várias espécies de peixes se alimentam de frutos. Por exemplo: um pé de goiaba à beira de uma represa. Se for tempo de goiabas maduras, com certeza as tilápias estarão se alimentando dessa fruta. Então qual a melhor isca que devemos usar nessa época e nesse local? A goiaba é apenas um exemplo, pois é enorme a variedade de frutos à beira d'água, assim como o peixe citado é apenas outro exemplo. Também, podemos citar, além da tilápia, peixes como o pacu, a carpa, a piracanjuba, a piaba e etc, pois todos têm o mesmo hábito.

6 - Pequenos cursos d'água

Consistem outro importante sinal da natureza, que tanto pode ser usado em água doce como no mar. Aqui o detalhe é que os peixes grandes ficam à espera do alimento que invariavelmente sairá do pequeno curso d'água. O melhor local para a pesca é na junção das águas.

7 - Identificação dos canais

Com certeza os peixes sempre trafegam pela parte mais profunda, ou seja, os canais. A identificação desses locais é ampla e diversa. No mar podemos descobri-los pela formação das ondas. Em baías e rios de litoral, pela formação das pedras ou terra firme. Um exemplo que pode ser citado, na entrada de um canal, se tivermos de um lado praia e do outro lado um morro com pedras, com certeza o leito passará perto do morro. Em rios, será necessário descobrir os remansos, e isso pode ser feito por meio da observação de plantas aquáticas que ficam na superfície das águas. Em represas, descreveremos bem à moda "caipira". Com um bambu ou uma corda com um peso, vá batendo o fundo da represa. 

Quando chegar ao canal, a profundidade aumentará repentinamente.

8 - Barrancos de terra firme

É outro bom sinal da natureza, pois além de fundo, é o local onde o predador dá caça aos outros peixes, que não tem oportunidade de fugir. Nesse local, prefira pescar sempre observando a categoria do peixe desejado.

9 - Cachoeiras ou corredeiras

Quem é que não sabe que nas piracemas, os peixes menores têm que vencer esses obstáculos, rio acima, para a desova? Pois é, nas corredeiras, os peixes maiores costumam se alimentar, e isso, por si só, já constituiria um excelente local de pesca. Mas, não se esqueçam, existe um limite onde pode se pescar, normalmente 200 metros abaixo ou acima desses locais. Não cometa o erro de pescar em local proibido, informe-se bem, antes de empreitar uma dessas.

José Silvestre Vieira

Aposentado, fotógrafo de aves e pescador


Coluna enviada no dia 04/11/2016




Comente esta coluna

ESPECIAL

Como você avalia os serviços da Via 040 ? concessionária responsável pela gestão da BR-040 em Brasília (DF) e Juiz de Fora (MG), passando por Conselheiro Lafaiete?


ESPECIAL

Na sua avaliação, qual é o ponto mais falho em nosso trecho na prestação de serviços da via 040?


ESPECIAL

Você sentiu alguma melhoria na rodovia após a privatização e início dos serviços da Via 040?


Galerias

Chuvas trazem de volta pesadelo das enchentes e alagamentos.

Enquetes

Qual notícia chamou mais sua atenção?


Enquetes 2


No momento, não temos nenhuma enquete ativa.


Colunistas




EXPEDIENTE

DIRETOR-PRESIDENTE E EDITOR: Luiz Fernando de Andrade GERÊNCIA GERAL: Clésio Samuel Luiz Peixoto SUB-GERENTE: Edmilson Moreira Dutra REDATORA: Juliana Monteiro REDATOR-ADJUNTO: Hugo Pacheco Jr. REPORTAGEM: Frances Santana / Rafaela Melo PAGINAÇÃO GRÁFICA: Daniel Vieira / Raquel Gonçalves PUBLICIDADE: Mara Rúbia de Oliveira Silva / Silvana Ribas REVISÃO E DIGITAÇÃO: Jussara Andrade COORDENADOR DE ESPORTES: Amauri Machado (DRT 08266) BANCO DE DADOS: P. de Souza SECRETÁRIA: Norma Aparecida Vitoreti Ramalho CIRCULAÇÃO: Valdiney Rodrigo Vieira Rodrigues IMPRESSORES GRÁFICOS: Wilson Ricardo de Souza / Willian Ribeiro CONSELHO EDITORIAL: Dr. José Álvaro Castanheira / Luiz Fernando de Andrade / Clésio Peixoto / Juliana Monteiro