Pesca


O momento é de valorizar a piracema e pescar nos pesque-pague



O período da piracema começou oficialmente no dia primeiro de novembro, com encerramento previsto para 28 de fevereiro. Neste tempo, os pescadores conscientes devem deixar os peixes livres dos anzóis, redes, tarrafas e afins, já que a maioria está ovada e subindo os cursos d’água para multiplicar a vida. Portanto, é de paz e tranquilidade que os peixes precisam, para procriar e multiplicar a quantidade de alevinos em nossos rios.
A coluna, por muitas vezes, já defendeu a proibição da pesca em toda a bacia do rio São Francisco e seus afluentes mais piscosos por pelo menos dois anos. É um tempo considerável para os peixes procriarem e ganharem corpo, multiplicando as espécies e voltando a povoar rios a nossa volta. Não se sabe por que cargas d’água as autoridades de Minas não fazem isso e nem tomam essa atitude. Em Goiás ocorreu isso, assim como em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Está na hora de Minas assumir a mesma responsabilidade e proibir a pesca amadora e profissional em seus rios, principalmente no Velho Chico.
É hora de o próprio pescador, que gosta de matar peixes, ir aos pesque-pague. Na região há dezenas deles, para todos os gostos e bolsos. Essa deve ser a filosofia de vida de agora em diante. Vamos dar uma trégua aos peixes, leitores. Multipliquem essa ideia e transforme essa iniciativa em uma luta. Só assim conseguiremos defender a natureza e preservar alguns rios que ainda são piscosos. Na próxima edição, vamos divulgar uma lista extensa de pesque-pague da nossa região, com contatos, preços e condições do pesqueiro.

 

P. de Souza
Repórter e pescador



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Pesca, no dia 29/11/2019




Comente esta Coluna