Pesca


Nenhum pescador esquece sua primeira vez no rio São Francisco



A primeira pescaria no rio São Francisco ninguém esquece, prin­cipalmente, quando a aven­­tura é bem no início da represa de Três Marias. Foi isso que aconteceu com o “marinheiro de primeira viagem”, Edmilson Dutra, do Jornal CORREIO e os experientes Jorge Ser­ralheiro, o Vozão do bairro Paulo VI, e Luiz Fer­nando de Andrade, também do Jor­nal CORREIO. Para surpresa de todos, Ed­milson acabou por dar um verdadeiro show na pescaria e capturou vários exemplares de piaus três pintas e verdadeiros, pi­ranhas brancas e vermelhas, os peixes mais comuns na localidade. O local escolhido pelo trio foi o rio São Fran­cisco, na zona rural de Pompéu e onde o rio Marmelada cai no Velho Chico. O grande rio começa a ficar represado e a formar grandes alagados, bem no início da represa, o que deixa a região com um aspecto pantanoso.
Os três pescadores saíram de La­faiete no fim da tarde do dia 29 de agosto, seguindo direto para Pompéu, onde chegaram por volta de 16h. De­pois de abastecer a caixa com cerveja e comprar gasolina para o barco, des­bravaram mais 42 km de estrada de terra, com boas condições de tráfego, porém muita poeira, até a localidade de Marmelada, onde ficaram no Ran­cho do Walace , pescador e empresário de Belo Horizonte, que gentilmente ce­deu sua confortável casa à beira do rio para o trio lafaietense. Após descarregar a tralha e tomar uma gelada, já que ninguém é de ferro, Jorge preparou um suculento jantar no fogão à lenha, com tudo que tinha direito. De­pois de uma noite tranquila, às seis da manhã, a rapaziada já estava de café to­mado e pronta para encarar o desafio de pescar, pela primeira vez, no início da represa de Três Marias.


Nos dias que se sucederam, a emoção ficou por conta dos peixes, do ca­lor e dos pernilongos, nada, porém, que atrapalhasse o ímpeto de Ed­mil­son, Jorge Vozão e Luiz Fernando. No fim da manhã de segunda-feira, dia 2 de setembro, eles retornaram a La­faiete, fazendo uma viagem tranquila e energizados com a oportunidade de ter estado num dos locais mais bonitos das Gerais. Fica um agradecimento es­pecial ao Jorge Vozão, que nos convidou, e ao Walace, pela gentileza em oferecer seu rancho para dias alegres, tranquilos e revigorantes. Se pudermos, voltaremos àquele deslumbrante local. O nosso muito obrigado.

P. de Souza
Repórter e pescador



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Pesca, no dia 27/09/2019




Comente esta Coluna