Ingrid Lopes


Nutricionista revela benefícios da amamentação para mãe e o bebê



O leite materno é o mais completo alimento, pois fornece nutrientes essenciais e importantes para o desenvolvimento cerebral, ao mesmo tempo em que combate infecções, evita diarreias e protege a criança contra bactérias e vírus. Exatamente por isso, o recém-nascido alimentado apenas com o leite materno tende a se recuperar de doenças com mais facilidade e se mantém mais resistente contra várias doenças. Dar de mamar também estimula o vínculo afetivo entre a mãe e o bebê. Estes sentimentos agradáveis são aumentados pela liberação de hormônios como a prolactina, que produz uma sensação de paz e carinho, e ocitocina, que promove um forte sentimento de amor e ape­go entre mãe e filho.
E não é só isso. Se­gundo a nutricionista es­pecializada em Nutrição materno-infantil e Saúde da mulher Ingrid Caroli­ne San. Lopes Kelmer, a amamentação não só tran­­quiliza a criança co­mo traz vários benefícios para a mãe: “Ama­men­tar também ajuda a mãe a perder o peso ganho na gestação e acelera a recuperação após o parto. Isso porque o hormônio ocitocina, que o corpo da mulher produz durante a amamentação, faz com que o útero volte ao seu tamanho normal mais rapidamente e pode diminuir o sangramento pós-parto. Reduzindo a perda de sangue, a amamentação também pode evitar a anemia, problema que acomete muitas mulheres durante esse período. Também ajuda a prevenir osteoporose, doenças cardíacas, câncer de mama e de ovário, e depressão, além ser um ato prazeroso e que aumenta a autoestima”, detalha.
Por que amamentar - Mas se há tantos benefícios nessa prática, por que tantas mães deixam de amamentar seus filhos? A resposta, segundo Ingrid Kelmer, está na falta de informação e de incentivo familiar: “Por desconhecimento, acreditam que outros alimentos possam ser mais nutritivos, práticos e benéficos ao seu bebê, trocando assim a amamentação por leites industrializados, ou mingaus, cereais e papinhas industrializadas - itens considerados calóricos e com nível elevado de açúcares e conservantes. Aliás, é bom alertar: o consumo desses alimentos pode induzir ao desenvolvimento de diabetes, alergias e obesidade infantil”, explica.
De acordo com o Ministério da Saúde, qualquer cri­ança pode - e deve - se alimentar exclusivamente de leite materno nos seus 6 primeiros meses de vida. “Ela não precisa comer ou beber mais nada – nem mesmo água ou chás, pois no leite há tudo que o bebê necessita para estar nutrido, crescer e se desenvolver com saúde. Passados os seis primeiros meses de vida devem ser inseridos na alimentação da criança papinhas de frutas e de legumes – sem interromper a amamentação, que pode ser continuada até os 2 anos de idade”, acrescenta a nutricionista.
O ato de mamar influencia, inclusive, na fisiologia do bebê. “Segundo pesquisas, a criança que mama no peito desenvolve me­lhor o rosto, a boca, a fa­la, a mordida e, principalmente, o sistema respiratório e imunológico. Já o uso de chupetas e mamadeira faz com que o bebê de­saprenda a mamar no pei­to, estimulando, as­sim, o desmame precoce e di­mi­nu­in­do a produção de leite”, argumenta Ingrid Kel­mer. E se você ainda se prende às superstições e alguns costumes, é bom esquecer essa conversa de que tomar mui­to leite, beber cerveja preta ou comer canjica ajudará na produção de leite. “O que estimula a produção nos alvéolos mamários é a própria sucção do bebê, ou seja, quanto mais mamadas, mais leitinho. Tanto que boa parte do leite materno é produzida du­rante as ma­madas”, finaliza.
Agosto Dourado - O 8º mês do ano recebeu o nome de Agosto Dourado, porque simboliza a luta pelo incentivo à amamentação. Anualmente, entre os dias 1° e 7, é realizada a "Semana Mundial da Amamentação": um período destinado às informações sobre o aleitamento materno, a promoção, a proteção e o apoio ao aleitamento.

Serviço

Ingrid Caroline San. Lopes Kelmer

Nutricionista especializada em Saúde
da mulher e Nutrição materno-infantil
Nutrichef apaixonada por gastronomia
Contatos: rua Aquino Baeta Neves, 66, Centro. Agendamento: (31) 98746-1388.



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Ingrid Lopes, no dia 06/08/2019

Ingrid C. San.Lopes Kelmer


Nutricionista - Especialista em Saúde da mulher


Comente esta Coluna