Pesca


Após sete anos em baixa, represa de Três Marias chega a 70% de sua capacidade



Uma das principais usinas hidrelétricas de Minas e a maior represa da Cemig no estado, localizada no Rio São Fran­cisco, chega a 70% de sua capacidade. Trechos de areia, partes de pontes e travessias já não são mais vistos às margens da represa de Três Marias. A chuva e a gestão da água por parte da Cemig, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e Agência Nacional de Águas (ANA) fizeram o nível do reservatório chegar a 70,1%, valor que não era visto há quase sete anos. Nesse período, em época de extrema seca, o nível chegou a 2,57%.
No dia 25 de outubro, o volume da represa estava em 32,5%. De acordo com a Cemig, al­guns procedimentos foram adotados para preservar o enchimento das barragens. Foram im­plementadas políticas operativas coerentes com o regime de escassez hídrica. As ações fizeram com que a usina chegasse a 70,1% do seu volume, o que não era visto desde agosto de 2012.
“Essas situações foram adotadas em períodos de seca extrema e feitas com o intuito de preservar o reservatório das usinas. Tivemos que adotar essa ação para manter um nível mí­nimo dos reservatórios, principalmente, no acentuado período de seca dos últimos anos na Região Su­deste”, afirma Ivan Sérgio Carneiro, engenheiro de planejamento energético da Cemig.
Entre as medidas adotadas está à liberação da menor quantidade de água possível para atender os municípios a jusante (rio abaixo). Nos últimos dias, por exemplo, a vazão afluente, que chega à usina, era em média de 800 e 1.000 me­tros cúbicos por segundo (m3/s). Já a va­zão defluente, que é liberada, era de aproximada­men­te 150m3/s. Ou seja, a economia es­ta­­va sen­do de aproximadamente 650m3/s por dia.
Essas medidas tiveram que ser adotadas devido a períodos críticos de seca vividos por municípios mineiros nos últimos anos. A estiagem deixou vários mananciais em situações críticas e até prejudicou o abastecimento na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Na bacia do Rio São Francisco não foi diferente. O nível de Três Marias, para se ter uma ideia, atingiu 2,57%. “Tivemos que fazer a gestão da água para garantir o abastecimento nas estações secas, para que não houvesse prejuízos aos usuários de montante e jusante da usina”, destaca Ivan Sérgio Carneiro.


Com informações do jornal Estado de Minas



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Pesca, no dia 28/03/2019




Comente esta Coluna