Educação


Quem é você nas redes sociais?



Entramos nas redes sociais e elas invadiram nossas vidas. Quem voc nas redes sociais? Como esto as relaes humanas nas redes? Voc sai com quem no posta fotos? Acredita nos perfis colocados nas redes? Cair nas redes pode ser um grande achado ou no. um risco. A matria de Gabriela Longman, que apresenta entrevista da Folha de So Paulo com Andrea Iorio, que comanda o Tinder Amrica Latina h cinco anos. O texto fala sobre as competncias dos novos profissionais digitais. Segundo ele, as relaes tendem a durar cada vez menos. Vale salientar que ele tem hoje 35 anos, solteiro. Isso mostra que a poca est produzindo adultos novos, cuja anlise madura mostra que novos talentos esto sendo capazes de analisar, avaliar e sugerir rumos aos novos tempos, para as novas geraes. Ainda bem, no ?
?Mais e mais, as plataformas de tecnologia passam a pautar a maneira como a sociedade se organiza. Museus e restaurantes planejam seus espaos pensando no Instagram, e a prpria Folha publicou um ?Tinder? eleitoral, em que o eleitor pode dar Match com seus candidatos. Como avalia essa tendncia?
H uma mudana no ponto de contato. Se o ponto de contato, originalmente, era offline, cara a cara. Hoje em dia, ele digital. As redes sociais vm transformando o padro de comportamento e essas plataformas vm para facilitar e complementar a experincia na vida real. O lado bom que as chances de conexo entre pessoas, estabelecimentos, negcios aumentam exponencialmente. Mas tem o desafio permanente de no substituir a experincia humana, e sim, complement-la positivamente.
Qual a especificidade da Amrica Latina, e mais especificamente do Brasil, nesse tipo de plataforma?
A? primeira coisa que a regio que tem o tempo de uso mdio nas plataformas sociais mais alto do mundo. O Brasil e a Argentina foram pblicos pioneiros em plataformas como MSN Messenger ou, no caso especfico do Brasil, no Orkut, e o que a gente est vendo uma evoluo, um desdobramento daquilo. Por tempo gasto na internet, o Brasil est, pelo menos, no top cinco. A gente tenta entender o que h por trs da demanda, destrinchar os fatores dessa abertura social pela via digital, j que outras regies e culturas mais tradicionais no tm a mesma receptividade.
Voc l estudos e tratados sobre o amor em tempos digitais?
Leio? muito, at para tentar melhorar a experincia do produto. Da teoria do Amor Lquido do [Zygmunt] Bauman at pesquisas mais detalhadas, vemos que a necessidade de estarmos conectados sempre existiu, mas, antigamente, a gente costumava ficar mais restrito. Sabemos, por exemplo, que a partir das plataformas digitais, o nmero de casamentos entre pessoas de crculos sociais diferentes ? classe, religio, raa, gnero ? tem aumentado. Por outro lado, na medida em que as barreiras diminuem, as relaes duram menos e sofrem o famoso ?fear of missing out? [medo de estar perdendo algo], uma espcie de constante insatisfao que faz as pessoas pularem mais de relacionamento, de emprego, em ciclos mais curtos. Meus avs, Armando e Bruna, nasceram em Savona e passaram a vida juntos. algo que a gente vai ver cada vez menos. No melhor nem pior, mas diferente.
Continua...
Fonte ? Disponvel na Folha de So Paulo.

Jos Antnio dos Santos
Mestre pela UFSJ e membro ACLCL
Contato: joseantonio281@hotmail.com



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Educação, no dia 05/10/2018




Comente esta Coluna