Colunas


C-10 Sporte complica a Taça Vermetal



Adiada do dia 3 de maio, a reunião na sede da Liga, no dia 7, definiu o caso C-10 Sporte. ?Ficou o dito pelo não dito?; ?o nada feito?; ?tudo como dantes, no quartel d?Abrantes?. Após o impasse, quando Queiroz Júnior (Serginho), Casa Grande (Danilo), Aliado (Emerson Boi) e Meridional (Sidclei Tôco) não concordaram em assinar o documento com o acordo repassando os três pontos - todos ganhariam a pontuação do jogo -  também para o Cristianense. O debate provocou mudança na definição encontrada pela liga e clubes para desfazer o ?imbróglio? causado pela complicada e irresponsável participação do C-10 Sporte, de Ouro Branco, na Taça Vermetal.
O Itacolomy foi o primeiro a assinar, conclamando os demais para que se praticasse o consenso, visto que o Cristianense não tinha nenhuma culpa na irresponsabilidade do C-10 Sporte, que desistiu da Taça Vermetal, após ter empatado com o time de Cristiano Otoni em 1 a 1. O Cristianense (Pedro Tucano) assinou em seguida. O Mineiro não tinha representante.
A tensão tomou conta do presidente Adjalma Ferreira, que repetia insistentemente que o C-10 estava irregular, porque enviou apenas R$400, em vez dos R$500 da taxa de inscrição, até que o Serginho destacou que, ?então, este jogo não existiu?. O presidente ?pegou o gancho? e foi apoiado pelo Sidclei, que sugeriu não computar ponto para nenhuma das equipes. Aí surgiu o caminho consensual proposto pelo Valdir Guerra.
Foi feito o documento com nova redação e os seis presentes assinaram. Para quem entrou na reunião querendo três pontos e aceitou o acordo de que não fosse dado ponto a nenhum dos participantes, conclui-se que: ?entre mortos e feridos, salvaram-se todos?.
A participação do C-10 Sporte só se deu porque, depois de tudo definido, que a Taça Vermetal seria disputada pelos sete clubes presentes na reunião ?presencial? no dia 3 de abril, a Liga e os clubes resolveram aceitar sua participação confirmada por mensagens de WhatsApp. E essa prática tem trazido muitos prejuízos ao futebol lafaietense. Essas reuniões ?via zap? foram implantadas pelo Breno Bontempo - e aí todos sabem o estado catastrófico que chegou o futebol lafaietense a partir de sua administração na Liga. Além disso, se o Departamento Técnico tivesse impedido a disputa dos atletas que não estivessem regularmente inscritos até a quarta-feira antecedente a cada rodada (Artigo 4º - parágrafo 1º) e que tivesse pago (integralmente) em dia a taxa de inscrição (Artigo 24º), esta situação não teria acontecido.
Moral da história: o C-10 se aproveitou de uma sequência de erros da Liga e fez a lambança de, também através de ?zap?, enviar uma mensagem desistindo de continuar na Vermetal. Prático, não é? Quem perdeu foi o Cristianense - que teve que pagar o deslocamento até Ouro Branco e o esporte em geral, que teve que ceder seu espaço para esta explanação. Para explicar este ?nada feito?, tivemos que retirar fotos dos nossos craques. A reunião serviu, também, para que a secretaria da Liga corrigisse o nome do presidente Adjalma Rodrigues Ferreira (e não Pereira), como estão nos documentos da Taça Vermetal. (Amauri Machado)


Escrito por Esporte, no dia 18/05/2018