Colunas


Lima Dias: vizinhança reclama de sujeira no galpão da Asmarcol



Uma moradora do bairro Lima Dias (região no­roeste) entrou em contato com a nossa Reda­ção para relatar os problemas enfrentados pe­la vizinhança da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Conselheiro Lafaiete (Asmarcol). ?Nós, que moramos próxi­mos ao galpão da Asmarcol, somos obri­­­gados a conviver com mau cheiro, infestações de ra­tos, baratas, mosquitos e agora, para piorar, até pulgas estão invadindo nossas casas. Nos­sa rua está um horror. As pessoas, quando nos visitam, pensam que aqui é um lixão. Essa não é a primeira vez que reclamamos do descuido naquele lugar. Deixo claro que não sou contra o trabalho realizado, reconhecemos a importância social e ambiental. Mas é preciso que eles mantenham o ambiente organizado e lim­po para não prejudicar a vizinhança?, solicita.

Associação explica que sujeira é esporádica

?Os materiais trabalhados na coleta seletiva são materiais secos (plástico, papel, alumínio, papelão), enfim, materiais que não apresentam mau cheiro, pois não produzem chorume. Quem vier visitar os galpões poderá constatar que não há presença de insetos e nem baratas.
Alguns vizinhos ainda utilizam de má fé e realizam queimadas de lixo no terreno aos fundos do galpão dando a entender que se trata da associação, o que não procede, pois vendemos o material e o rejeito que sobra são coletados pela empresa Localix três vezes por semana, nada é queimado.
Quanto a eventuais resíduos que passar para o lado externo do galpão são devido ao ven­to forte e os que caem do caminhão, são re­­­colhidos. Lembrando que se trata de fatos esporádicos e podem ser originados das três as­sociações: Asmarcol, Ascol ou Ascopre. Ressaltamos ainda que a atividade de reciclagem realizada pela Asmarcol possui li­­cenciamento am­biental e é acompanhada pelo setor de Meio Ambiente da prefeitura municipal?.



Escrito por Denúncia, no dia 18/05/2018