Educação


Formação de professores para novo ensino médio (Partr II)



O sucesso da implementao da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Mdio passar por mudanas na formao de professores e adaptaes nas escolas, apontam especialistas ouvidos pela Agncia Brasil. O documento, que vai orientar os currculos dessa etapa e estabelecer as habilidades e competncias que devem ser desenvolvidas pelos alunos ao longo do ensino mdio em cada uma das reas, foi entregue na tera-feira, 3 de abril, pelo Ministrio da Educao (MEC) ao Conselho Nacional de Educao (CNE).
A BNCC do ensino mdio organizada por reas do conhecimento: linguagens, matemtica, cincias da natureza e cincias humanas. Apenas as disciplinas de lngua portuguesa e matemtica aparecem como componentes curriculares, ou seja, disciplinas obrigatrias para os trs anos do ensino mdio. Os alunos devero cobrir toda a BNCC em, no mximo, 1,8 mil horas. O tempo restante deve ser dedicado ao aprofundamento no itinerrio formativo de escolha do estudante.
Para o diretor do Instituto Ayrton Senna, Mozart Neves Ramos, essas mudanas vo exigir muito investimento na formao de professores e um ?repensar da formao de professores no Brasil? para que haja uma integrao entre as disciplinas. ?Quando voc faz um trabalho por rea de conhecimento que refora o carter da interdisciplinariedade, voc tem que investir muito na formao de professores.
Hoje, como o professor de qumica formado sem ter um dilogo direto com o professor de fsica ou biologia, que fazem parte da mesma rea de conhecimento, por exemplo, agora para dar conta desse novo ensino mdio, eles tero que se integrar j dentro da universidade?, diz. Segundo ele, a mudana vai ter impacto nos currculos das licenciaturas. ?As coordenaes dessas reas vo ter que sentar e repensar. No que no vai mais ter professor de qumica, fsica e biologia, mas vai ter que haver um esforo para integrar esses conhecimentos?, diz.
A formao dos professores deve ser priorizada tambm na viso da pedagoga Anna Helena Altenfelder. ?No s os professores, mas toda a estrutura da escola, que hoje pensada por disciplina e no por rea de conhecimento. Ento, temos um desafio grande?, diz a presidente do Conselho de Administrao do Centro de Estudos e Pesquisas em Educao, Cultura e Ao Comunitria (Cenpec).
Ela tambm aponta um possvel acirramento das desigualdades na educao como um dos riscos da nova base para o ensino mdio. ?Sabemos que os estados tm condies diferentes, tanto tcnicas como financeiras, para construir seus prprios currculos. Ento, a questo dos itinerrios deve ser melhor definida em um apoio maior para os estados?, diz. O MEC se comprometeu a elaborar um guia de orientaes para ajudar os estados na elaborao dos itinerrios formativos.
Edio: Amanda Cieglinski

Disponvel em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2018-04/novo-curriculo-do-ensino-medio-exigira-mudanca-na-formacao-do-professor. Acesso em 05/05/2018.

Jos Antnio dos Santos
Mestre pela UFSJ
Contato: joseantonio281@hotmail.com




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Educação, no dia 18/05/2018




Comente esta Coluna