Colunas


Frei 1421/2018



Depois de longo tenebroso inverno, os lafaietenses começam a sentir o gostinho da sensação de segurança. Antes não se via blitzen, barreiras policiais e muito menos Tiras nas ruas. Embora o crime ainda venha atuando a todo vapor, já é possível visualizar Rapas em espaços públicos e logradouros onde antes os marginais tomavam conta de tudo. Sem dúvida, uma grande conquista.

Que coisa
Conforme afirmou o vereador Sandro José à coluna, o governo do Estado deve cerca de 16 milhões em repasses para o município de Conselheiro Lafaiete custear a saúde pública. Segundo consta ? veja reportagem na página 18 desta edição ? os setores mais afetados são a Atenção Básica à Saúde (ABS), Assistência Farmacêutica (AF), Gestão de Média e Alta Complexidade (GMAC) e Vigilância da Saúde (VS).

No fundo
Considerados setores vitais da saúde pública, as áreas atingidas pelo não repasse do Governo do Estado estão sendo custeadas com recursos do município. O grande problema é que a fonte está secando e, em breve, se não forem tomadas medidas drásticas, Lafaiete terá que fechar literalmente os setores afetados pelo calote do Estado. Jesus toma conta.

Constatação
É impossível escrever bem, falar melhor ainda e pensar, sem que haja o processo construtivo da leitura de boa qualidade. E, cá para nós, não se encontra isso em redes sociais e grupos de relacionamento.

Na mosca
Daí a importância de meios de comunicação como o Jornal CORREIO, que mantém versões impressa e digital, com uma qualidade que deixa boquiaberto até o mais indiferente dos jacarés.  Aqui leitor e internauta encontram material jornalístico preparado por profissionais gabaritados e uma estrutura empresarial sólida.

Inglória
Deve ser terrível administrar uma cidade sem recursos, carente, sem indústrias e com um monte de gente desempregada. Força, Mário! Muita força nesta hora.


Escrito por Frei Tibúrcio, no dia 18/05/2018