Colunas


Esquadrão pesqueiro em busca do tucunaré - ano 2



Um ano depois da nossa aventura, partimos novamente para uma pesca dos tucunarés em uma represa formada pelo rio Paraopeba, próximo à cidade mineira de Felixlândia. Como em 2017, saímos de Lafaiete às 5h30 com os companheiros Délio, Cleitinho, Cleydson, Marcone e Gustavo. Passamos pela cidade de Sete Lagoas, onde encontramos os companheiros de lá: Gelinho, Biscoito, Careca e Diego já nos aguardavam com um reforçado café da manhã.
A expectativa era das melhores, já que tínhamos informação de que os aguapés que tanto nos importunaram no ano anterior tinham se afastado do nosso local preferido de pesca. Também tínhamos à disposição um barco, o que facilitaria a nossa locomoção. Pé na estrada e, já ao avistar a represa, em nossa chegada, notamos que o volume de água estava em um nível bem elevado, em virtude das fortes chuvas na região. A outra notícia não foi nada boa: a mesma chuva trouxe de volta os aguapés, formando uma barreira entre as margens da represa e o barco que seria usado na pescaria.
Sem poder usar o barco, partimos para o plano 2, que seria o deslocamento do pessoal de carro a procura de outros pesqueiros. Durante os três dias de pescaria, sob algumas pancadas de chuva, tivemos bons resultados. Pegamos alguns tucunarés, perdemos outros, devido às galhadas no local, além de exemplares de piaus, curimbas e pacus, também apanhados.
Nesses três dias de pescaria, convivemos com 11 pessoas, vivenciando um espírito de colaboração e fraternidade, onde a vida nos ensina a ser melhores em nosso dia a dia.

José Ferreira Xavier
Pescador


Escrito por Pesca, no dia 28/03/2018